Balanços financeiros: veja como foi a semana de resultados no Brasil e no exterior

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Santander, Bradesco, Vale, Petrobras e Klabin são algumas das companhias que divulgam resultados na próxima semana

A temporada de balanços do terceiro trimestre de 2020 segue a todo vapor no Brasil e no exterior. Entre ganhos e perdas, os resultados, em geral, têm apontado para uma retomada gradual da atividade econômica reflexo da flexibilização das quarentenas e medidas de distanciamento social no período.

No Brasil, apresentam seus relatórios na próxima semana Santander, Bradesco, Vale, Petrobras, Klabin, Cielo, Gerdau, GPA, Ambev, Telefônica Brasil, Lojas Americanas e B2W, Suzano e Usiminas.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Veja um resumo dos resultados que movimentaram os mercados na semana encerrada hoje (23):

WEG

A Weg teve lucro líquido de R$ 644,2 milhões no terceiro trimestre, alta de 54% ante o mesmo período de 2019, com a retomada da demanda de equipamentos de ciclo curto, além da manutenção do bom desempenho dos negócios de ciclo longo e controles de custos. O lucro por ação foi de R$ 0,30711, ante R$ 0,19939 um ano antes.

Cyrela

A construtora Cyrela informou que seus lançamentos no terceiro trimestre somaram R$ 2,59 bilhões, equivalente a um crescimento de 45,7% em relação ao mesmo período do ano passado.

Já as vendas contratadas líquidas da companhia, entre julho e setembro, totalizaram R$ 2,45 bilhões, um salto de 58,1% no comparativo anual.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

América Móvil

A América Móvil, controladora do grupo Claro no Brasil, teve alta de quase 45% no lucro líquido do período em relação ao ano anterior, saltando para 18,8 bilhões de pesos (US$ 853 milhões).

No Brasil, a Claro teve alta na margem Ebitda de R$ 4,07 bilhões no período. Com a receita crescendo 1,4%, totalizando R$ 9,85 bilhões.

Neoenergia

A elétrica Neoenergia registrou lucro líquido de R$ 814 milhões no terceiro trimestre de 2020, alta de 36% ante o mesmo período do ano passado.

A margem Ebitda totalizou R$ 1,76 bilhão no período, avanço de 17% na comparação anual, devido à retomada econômica do Brasil.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Netflix

A companhia teve acréscimo de 2,2 milhões de assinantes pagantes globalmente no período, contra estimativas de analistas em 3,4 milhões, de acordo com dados da Refinitiv.

A receita da companhia aumentou 22,7%, o que representa um crescimento de US$ 6,44 bilhões no terceiro trimestre, superando as estimativas anteriores de US$ 6,38 bilhões.

American Express

O lucro líquido caiu de US$ 1,76 bilhão (US$ 2,08 por ação) no ano passado para US$ 1,07 (US$ 1,30 por ação) no terceiro trimestre deste ano, encerrado em 30 de setembro.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

As provisões de perdas consolidadas no trimestre ficaram em US$ 665 milhões, queda de 24% em relação aos US$ 879 milhões do ano anterior. A receita total, excluindo despesas com juros, caiu 20%, para US$ 8,8 bilhões.

Tesla

A receita da Tesla aumentou para um recorde de US$ 8,77 bilhões, ante US$ 6,3 bilhões um ano antes. Analistas esperavam receita de US$ 8,36 bilhões, segundo dados IBES da Refinitiv.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Intel

A Intel elevou previsões para receita e lucro ajustado anual, impulsionada pela mudança global para o trabalho remoto, que segue impulsionado a demanda por processadores. A companhia afirmou que agora espera receita anual de US$ 75,3 bilhões e lucro ajustado de US$ 4,90 por ação, ante estimativas anteriores de US$ 75 bilhões para receita e de US$ 4,85 de lucro por papel, respectivamente.

Coca-Cola

A receita líquida caiu 9%, ( US$ 8,7 bilhões ), mas ainda ficou acima da estimativa média dos analistas de US$ 8,36 bilhões, segundo dados do IBES da Refinitiv.

O lucro líquido atribuível aos acionistas da empresa caiu de US$ 2,59 bilhões (US$ 0,60 por ação), para US$ 1,74 bilhão (US$ 0,40 dólar por ação), no período de um ano.

Ericcsson

A Ericsson superou as previsões de lucro trimestral , ajudada pelas margens mais altas e pelo lançamento da rede 5G na China, também afirmando estar “mais confiante” em cumprir suas metas para 2020.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O lucro operacional ajustado aumentou para 9 bilhões de coroas suecas (US$ 1 bilhão), ante 6,5 bilhões um ano antes, superando a previsão média dos analistas de 6,98 bilhões de coroas suecas, de acordo com estimativas da Refinitiv. A receita total cresceu 1%, para 57,5 bilhões de coroas.

As margens brutas atingiram seu melhor nível desde 2006 e as receitas aumentaram nos principais negócios de redes da empresa sueca, apesar das paralisações causadas pela pandemia de Covid-19.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).