Dividendos de bancos públicos e devoluções do BNDES devem melhorar gestão da dívida, indica Waldery

PriscilaZambotto/GettyImages
PriscilaZambotto/GettyImages

Segundo Waldery, o objetivo das ações anunciadas é que a LFT (Tesouro Selic) reflita melhor o risco e tenha menor volatilidade.

O secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, indicou hoje (22) que o governo dispõe de alternativas para melhorar a gestão da dívida, citando a devolução de recursos pelo BNDES e o pagamento de dividendos pelos bancos públicos e de instrumentos híbridos de capital e dívida (IHCD).

Em evento promovido pelo Tribunal de Contas da União (TCU), ele disse que o Tesouro usa as ferramentas que tem hoje disponíveis e que sua gestão de caixa é sustentável.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Segundo Waldery, a transferência do resultado cambial do Banco Central, a exemplo do que já foi feito mais cedo neste ano, é outra possibilidade, desde que respeitado o regramento legal.

O secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, disse também que o Tesouro terá melhor avaliação sobre o impacto sobre a LFT da ação conjunta anunciada com Banco Central no fim do mês, quando haverá vencimento das compromissadas e maior liquidez de mercado.

Segundo Waldery, o objetivo das ações anunciadas é que a LFT (Tesouro Selic) reflita melhor o risco e tenha menor volatilidade.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Ele reforçou ainda que a melhor forma de melhorar a gestão da dívida é via reformas estruturais e comprometimento com a consolidação fiscal. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).