Em dia de volatilidade nos mercados globais, Ibovespa bate marca dos 101 mil pontos

O Ibovespa opera com volatilidade nos primeiros negócios do dia, acompanhando o sentimento de incertezas vindo de Wall Street. Aqui e lá, os investidores aguardam momentos decisivos na negociação do segundo pacote de estímulo à economia norte-americana desde o início da pandemia. Às 10h59, o índice brasileiro avançava 0,56% aos 101.074 pontos. O dólar trabalha no negativo, com queda contra o real de 0,18%, negociado a R$ 5,60 na venda.

No mesmo horário, o Dow Jones avançava 0,42% e o S&P 500 ganhava 0,55%. Minutos antes, os indicadores operavam em queda. Ontem, os Estados Unidos aproximaram-se de um acordo sobre um novo pacote de alívio ao coronavírus. A apenas duas semanas das eleições presidenciais norte-americanas, Trump sinalizou disposição de concordar com um pacote de montante superior a US$ 2,2 trilhões para a economia, como os democratas vinham pressionando há meses. “Eu quero isso ainda maior do que os democratas (querem)”, disse Trump em entrevista à Fox News. O montante, no entanto, enfrentaria resistência entre os republicanos no Senado.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Enquanto não há solução para o impasse, o coronavírus avança no país. Apenas ontem, as novas infecções somaram 60 mil casos nos EUA. A Europa também enfrenta uma segunda onda de contaminações e novas medidas de distanciamento social. A Espanha anunciou ontem que estuda juntar-se à França e decretar um toque de recolher para a população. O FTSE 100 perdia 1,36% e o Stoxx 600 tinha queda de 0,69% na publicação desta notícia.

Já no cenário doméstico, o risco fiscal segue no radar do mercado, apesar de ter sido ofuscado pelo exterior nos últimos dias. Os agentes públicos seguem reforçando o discurso em prol do teto dos gastos e de um financiamento responsável para o Renda Cidadã. Ontem, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que esta é uma boa hora para vir para o Brasil, após ressaltar que não haverá abandono ao teto de gastos. Ainda no contexto político, o governo se esforça para votar amanhã no Senado o projeto que confere autonomia ao Banco Central.

O banco Inter revisou hoje suas projeções para a economia brasileira. A estimativa para o IPCA passou de 2,2%, para 2,8% em 2020. A Selic deverá ser mantida em 2% até o fim deste ano, sendo elevada a partir do 2º semestre de 2021 para 3,5%. A projeção para o PIB segue mantida em – 4,3% para 2020 e crescimento de 3,9% em 2021.

Nos balanços, a Weg reportou lucro líquido de R$ 644,2 milhões no terceiro trimestre, alta de 54% ante o mesmo período de 2019, com a retomada da demanda de equipamentos de ciclo curto, além da manutenção do bom desempenho dos negócios de ciclo longo e controles de custos. O lucro por ação foi de R$ 0,30711, ante R$ 0,19939 um ano antes. O retorno sobre o capital investido (ROIC) atingiu 23,3% no terceiro trimestre, crescimento de 4,1 pontos percentuais em relação ao mesmo período de 2019.

A elétrica Neoenergia registrou lucro líquido de R$ 814 milhões no terceiro trimestre de 2020, alta de 36% ante o mesmo período do ano passado. A resseguradora IRB Brasil, por sua vez, informou prejuízo líquido de R$ 65,4 milhões em agosto. Excluindo o impacto de negócios descontinuados, a companhia teria registrado lucro de R$ 73,8 milhões no mês. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).