Ericsson supera estimativas de lucro com melhora das margens

primeimages/GettyImages
primeimages/GettyImages

O lucro do terceiro trimestre veio principalmente da divisão de redes, que teve margem operacional ajustada de 22,7%

A Ericsson superou as previsões de lucro trimestral , ajudada pelas margens mais altas e pelo lançamento da rede 5G na China, também afirmando estar “mais confiante” em cumprir suas metas para 2020. Os resultados foram divulgados hoje (21).

O lucro do terceiro trimestre veio principalmente da divisão de redes, que teve margem operacional ajustada de 22,7%, bem acima da previsão de 17,8%, disse o analista Janardan Menon, da Liberum.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O lucro operacional ajustado aumentou para 9 bilhões de coroas suecas (US$ 1 bilhão), ante 6,5 bilhões um ano antes, superando a previsão média dos analistas de 6,98 bilhões de coroas suecas, de acordo com estimativas da Refinitiv. A receita total cresceu 1%, para 57,5 bilhões de coroas.

As margens brutas atingiram seu melhor nível desde 2006 e as receitas aumentaram nos principais negócios de redes da empresa sueca, apesar das paralisações causadas pela pandemia de Covid-19.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A margem bruta da Ericsson, excluindo despesas de reestruturação, aumentou para 43,2% no terceiro trimestre, de 37,8% um ano antes, atingindo um nível visto pela última vez em 2006.

A margem operacional ajustada agora é de 11,1% para o período de janeiro a setembro, em comparação com a meta da Ericsson para 2020 de mais de 10%. Para 2022, sua meta é a faixa de 12% a 14%.

A empresa já fechou 112 contratos 5G, contra 99 no final do segundo trimestre, à medida que mais operadoras de telecomunicações constroem redes de próxima geração e a pressão diplomática dos EUA afasta mais países da líder de mercado Huawei. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).