Ibovespa encosta nos 100 mil pontos, mas perde fôlego com exterior negativo

Reprodução/Forbes

O Ibovespa encostou nos 100 mil pontos hoje, mas perdeu fôlego durante a sessão e encerrou o dia com leve valorização, avançando 0,35% aos 98.657 pontos. Os ganhos foram limitados pelo sentimento negativo vindo do exterior: em Wall Street, os principais índices acionários despencaram à espera de notícias sobre o pacote de estímulo fiscal para as famílias e empresas do país. O prazo para um acordo antes das eleições informado pela presidente da Câmara norte-americana, Nancy Pelosi, termina amanhã (20).

O Dow Jones fechou o dia com queda de 1,44%, enquanto o S&P 500 recuou 1,63% e o Nasdaq Composite desvalorizou 1,65% na sessão. No câmbio, o dia foi de correção para o dólar, com a moeda perdendo 0,62% e negociada a R$ 5,60 na venda.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Voltando ao cenário doméstico, o Ibovespa foi sustentado pelo vencimento de opções sobre ações, movimentando R$ 10,379 bilhões na sessão, e por notícias positivas no contexto fiscal. Hoje, o presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar que não há como manter o pagamento do auxílio emergencial por um período maior do que o planejado devido ao aumento do endividamento do país. No fim de semana, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) fez novas defesas públicas em prol da regulamentação do teto dos gastos.

Também nesta segunda-feira, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou em vídeo gravado para Cúpula da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos que haverá luta pela manutenção do teto de gastos enquanto for necessário, reconheceu também que há ministros que querem expandir as despesas públicas furando o mecanismo, mas pontuou que Bolsonaro “está claramente do nosso lado”.

Nos indicadores, os economistas consultados pelo Boletim Focus, do Banco Central, revisaram para cima pela décima vez consecutiva as expectativas da inflação medida pelo IPCA, para 2,65% em 2020, contra 2,47% na última semana. No PIB, as projeções são mais positivas, com contração prevista de 5% neste ano, ante 5,03% anterior.

Nesta semana, as Indústrias Romi, Neoenergia, Weg e Hypera divulgam seus balanços financeiros do terceiro trimestre. Em relatório divulgado ontem (18), a XP Investimentos afirma que os indicadores prévios do 3T apontam uma retomada significativa na economia. “Esperamos que essa melhora se reflita também nos resultados a serem reportados pelas empresas brasileiras, com parte das companhias começando a dar sinais de recuperação, o que nos permite acreditar que o pior dos impactos frente ao Covid-19 ficou para trás”, afirma o documento. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).