Lucro ajustado da Bunge quase dobra no 3T

Forbes/Reprodução

O grupo de commodities agrícolas Bunge registrou um aumento de 91% no lucro trimestral ajustado, informou a companhia hoje (28), com fortes margens de processamento de soja e uma demanda robusta por ração animal e óleos vegetais impulsionando seus resultados no setor de agronegócio.

A Bunge melhorou as projeções de lucro para o ano, pelo segundo trimestre consecutivo, ao prever um lucro em 2020 de entre US$ 6,25 e US$ 6,75. A companhia citou resultados melhores que o esperado no agronegócio e um horizonte mais favorável para sua unidade de óleos.

“Olhando para o próximo ano, esperamos que muitas tendências favoráveis continuem. Nós também esperamos demanda global adicional por óleos vegetais a partir do crescimento dos biocombustíveis”, disse o presidente-executivo, Greg Hackman.

Grandes players desse mercado, como a Bunge e suas concorrentes Archer Daniels Midland, Cargill e Louis Dreyfus, conhecidas como “ABCD” dos grãos, enfrentaram contratempos com a pandemia devido ao fechamento de restaurantes e redução em viagens, que impactaram a demanda por alimentos e combustível.

O lucro líquido atribuível à Bunge no terceiro trimestre encerrado em 30 de setembro foi de US$ 262 milhões (US$ 1,84 por ação), em comparação com o prejuízo de US$ 1,49 bilhão (US$ 10,57 por ação) um ano antes. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).