Otimismo dá o tom e Ibovespa sobe quase 2% na sessão

Reprodução/Forbes

O Ibovespa rompeu a barreira dos 100 mil pontos e fechou o pregão desta terça-feira (20) no azul, impulsionado por papéis do setor financeiro, diminuição das incertezas fiscais e sentimento positivo no exterior. O índice brasileiro valorizou 1,91% na sessão aos 100.539 pontos.

A melhora na percepção do mercado sobre o compromisso do governo com o teto dos gastos deu fôlego ao mercado acionário e alívio ao dólar. Hoje, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que esta é uma boa hora para vir para o Brasil, após ressaltar que não haverá abandono ao teto de gastos, e disse achar que não será despedido nos próximos meses.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A moeda norte-americana encerrou o dia com alta de 0,09%, negociada a R$ 5,60 na venda. O real amarga o título de moeda relevante que mais perde ante o dólar neste ano (-28,49%) e que apresenta a maior volatilidade (quase 18% ao ano), diante de uma combinação de incerteza fiscal, impacto econômico da pandemia, juros baixos, saídas de recursos e desmonte de “overhedge”.

Em Wall Street, os índices reverteram parte das perdas da sessão anterior, acompanhando a reta final das negociações para um novo pacote de estímulo fiscal. A Casa Branca defende um pacote de US$ 1,8 trilhão, enquanto democratas insistem que o montante não é suficiente para as necessidades da economia norte-americana e seguem negociando US$ 2,2 trilhões. Há pouco, senadores republicanos e a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, afirmaram em entrevista coletiva que trabalham para um acordo que contemple a todos (famílias e empresas) no país. O Dow Jones subiu 0,40% na sessão, o S&P 500 teve ganho de 0,47% e o Nasdaq Composite avançou 0,33% no dia.

Na Europa, as bolsas fecharam no misto entre alívio de balanços financeiros positivos e segunda onda de coronavírus na região. A Irlanda, Itália, Espanha e Reino Unido já anunciaram medidas mais duras com o objetivo de conter a onda de infecções. Entre os índices, fecharam no azul apenas o FTSE 100, de Londres, e o FTSE MIB, de Milão, subindo 0,08% e 0,56%, respectivamente. O DAX recuou 0,92% na sessão, acompanhado de 0,27% de queda no CAC 40 e perda de 0,35% no Stoxx 600. (Com Reuters)

DESTAQUES DO IBOVESPA

Maiores Altas
EZTC3: +5,68% a R$ 39,42
BPAC11: +5,53% a R$ 79,19
CSNA3: +5,24% a R$ 20,69
BBDC4: +4,90% a R$ 21,62
RENT3: +4,88% a R$ 64,69

Maiores Baixas
GOLL4: -1,31% a R$ 19,65
AZUL4: -1,24% a R$ 26,20
RAIL3: -1,02% a R$ 18,48
TOTS3: -1,00% a R$ 28,59
CVCB3: -0,58% a R$ 15,48

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).