Prévia da confiança da indústria indica salto a máxima desde 2011, diz FGV

Reuters/Nacho Doce
Reuters/Nacho Doce

Dados preliminares sinalizam salto de 4,0 pontos no ICI em relação a setembro, a 110,7 pontos

A confiança da indústria no Brasil deve apresentar alta pelo sexto mês consecutivo em outubro, mostrou uma prévia da Fundação Getulio Vargas (FGV) de hoje (21), indicando que o sentimento do setor deve atingir a máxima em mais de nove anos em meio a melhora na percepção sobre a crise atual.

A prévia da Sondagem da Indústria de outubro sinaliza salto de 4,0 pontos do Índice de Confiança da Indústria (ICI) em relação a setembro, a 110,7 pontos, nível que seria o mais alto desde abril de 2011 (111,6 pontos).

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Em nota, a FGV disse que “o crescimento da confiança nesta prévia decorre principalmente de melhores avaliações dos empresários em relação ao presente”, com o Índice de Situação Atual avançando 5,9 pontos, a 113,2 pontos.

O Índice de Expectativas – que acompanha a percepção dos empresários em relação ao futuro da indústria – teve alta de 2,2 pontos na prévia de outubro, para 108,1 pontos.

Desde maio, a confiança da indústria brasileira tem apresentado tendência constante de alta, refletindo o alívio dos investidores com a retomada econômica depois que restrições para combate do coronavírus pressionaram os negócios no início do ano.

Importantes centros econômicos do país, como São Paulo, têm flexibilizado cada vez mais suas restrições, movimento que foi iniciado já no segundo trimestre do ano. O Brasil tem mais de 5 milhões de infecções confirmadas por Covid-19 e registrou mais de 150 mil mortos pela doença. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).