Produção industrial no Brasil sobe 3,2% em agosto, diz IBGE

O setor, no entanto, ainda não recuperou as perdas de 27% de março e abril.

Redação
Compartilhe esta publicação:
REUTERS_Washington Alves
REUTERS_Washington Alves

O setor, no entanto, ainda não recuperou as perdas de 27% de março e abril

Acessibilidade


A produção da indústria nacional cresceu pelo quarto mês seguido e registrou alta de 3,2% em agosto, na comparação com julho. Mesmo assim, o setor ainda não recuperou as perdas de 27% de março e abril, quando a indústria atingiu o patamar mais baixo da série devido à pandemia de Covid-19. No acumulado no ano, a produção recuou 8,6%. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), divulgada hoje (2) pelo IBGE.

Em relação a agosto de 2019, a queda na indústria é de 2,7%, o 10º resultado negativo seguido nessa comparação. Nos últimos 12 meses, a queda é de 5,7%.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Para o gerente da pesquisa, André Macedo, o resultado de agosto mostra que a indústria nacional segue em recuperação após o agravamento das medidas para conter a pandemia. “Há uma manutenção de certo comportamento positivo do setor industrial nos últimos meses. É um avanço bem consistente e disseminado entre as categorias, mas ainda há uma parte a ser recuperada”, analisa.

A pesquisa mostra que todas as grandes categorias apresentaram avanço em agosto frente a julho. Os bens de consumo duráveis lideram o crescimento (18,5%), seguido pelos bens de capital (2,4%), bens intermediários (2,3%) e bens de consumo semi e não duráveis (0,6%). Todas as categorias aumentaram pelo quarto mês consecutivo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Entre os ramos pesquisados, 16 dos 26 apresentaram crescimento. A atividade mais influente foi a de veículos automotores, reboques e carrocerias, que cresceu 19,2%. Nos últimos quatro meses, o setor acumula expansão de 901,6%, mas ainda se encontra 22,4% abaixo do patamar de fevereiro.
“A produção dos automóveis impacta não só dentro da categoria de Bens de consumo duráveis, mas no setor industrial como um todo, porque influi na confecção de autopeças, caminhões e carros em geral”, afirma Macedo. (Com Agência IBGE)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: