Rio de Janeiro entra de forma definitiva no Mercado Livre de Gás Natural

Secretário de desenvolvimento econômico afirma possibilidade de reindustrialização do Rio de Janeiro através de arrecadação no setor de gás natural .

Redação
Compartilhe esta publicação:
PhotoPatrickAltmann/GettyImages
PhotoPatrickAltmann/GettyImages

Secretário de desenvolvimento econômico afirma possibilidade de reindustrialização do Rio de Janeiro através de arrecadação no setor de gás natural

Acessibilidade


O Rio de Janeiro entrou oficialmente no Mercado Livre de Gás Natural, a partir de uma deliberação aprovada ontem (29) pela Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado (Agenersa).

“Com a decisão desta quinta-feira, a Agenersa contribui para a promoção da concorrência no setor e sua integração com os ramos elétrico e industrial, mediante a harmonização das regulações estadual e federal”, afirmou o presidente da agência, Tiago Mohamed.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

De acordo com dados da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), para cada milhão de metro cúbico/dia de gás produzido no Rio há um potencial de se gerar uma arrecadação anual adicional de mais de R$ 60 milhões em ICMS e R$ 20 milhões em royalties e participação especial para o Estado e municípios fluminenses.

A federação estima ainda que o Novo Marco Legal do Gás pode gerar investimentos de R$ 80 bilhões no país, sendo que R$ 45 bilhões poderiam ser direcionados para o Rio de Janeiro.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado, órgão ao qual a Agenersa está vinculada, o novo marco legal “traz maior previsibilidade e segurança jurídica ao setor, beneficiando consumidores industriais, comerciais e residenciais.”

“Teremos mais competitividade, um ambiente regulatório seguro e mais condições de atratividade para investimentos fundamentais ao desenvolvimento econômico”, disse o secretário Marcelo Lopes.

Ele afirmou ainda que a medida representa uma oportunidade de reindustrialização do Rio de Janeiro, a partir da possibilidade de instalação, no Estado, de empreendimentos de consumo energético intensivo, como petroquímicas, indústria de fertilizantes e enriquecimento de minério, entre outras. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: