Venda de ativos eleva lucro do 3° tri da Blackstone

Forbes/Reprodução

A Blackstone divulgou hoje (28) que o lucro distribuível do terceiro trimestre aumentou 9% em relação ao ano anterior, apoiado por um aumento nos valuations corporativos e na saída da gestora de algumas de suas aquisições alavancadas.

O lucro distribuível – disponível para pagar dividendos aos acionistas – totalizou US$ 772 milhões, ante US$ 710 milhões um ano antes, o mesmo que US$ 0,63 por ação, superando a estimativa média dos analistas de US$ 0,57, de acordo com dados compilados pela Refinitiv.

A Blackstone disse que seu portfólio de private equity valorizou 12,2% no terceiro trimestre, em comparação com alta de 8,5% no índice S&P 500 no mesmo período. Os fundos de oportunidades e imobiliários tiveram alta de 6,4% e 3,5%, respectivamente.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Durante o trimestre, a Blackstone concluiu a venda de US$ 7 bilhões da Cheniere Energy Partners para a Brookfield Asset Management e Blackstone Infrastructure Partners. Também concluiu a oferta pública inicial de US$ 625 milhões do segundo maior fundo de investimento imobiliário da Índia
(REIT), Mindspace Business Parks.

De acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos (GAAP), lucro líquido da companhia foi de US$ 794,7 milhões, já que o crescimento na receita de investimentos foi parcialmente mitigada por despesas de compensação.

Os ativos totais sob gestão aumentaram para US$ 584,4 bilhões no final de setembro, ante US$ 564,3 bilhões no trimestre anterior, impulsionados pela forte arrecadação dos fundos. A Blackstone tinha US$ 152,4 bilhões em capital não gasto no final de setembro. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).