Balanços financeiros e bom humor no exterior impulsionam Ibovespa

O Ibovespa acompanha as bolsas no exterior e abre a sessão desta sexta-feira (13) em campo positivo, subindo 0,60% aos 103.124 pontos às 10h16, horário de Brasília. Além do apetite por riscos vindo exterior, os investidores precificam ainda uma série balanços financeiros. Entre os destaques, resultados positivos da CPFL Energia, Energisa, Equatorial, Natura &Co e B3.

O dólar trabalha em leve alta contra o real, subindo 0,04% e negociado a R$ 5,47 na venda. Apesar de ter oscilado na semana com a perspectiva de relações comerciais mais calmas sob a gestão de Joe Biden e notícias de sucesso em uma vacina para a Covid-19, a moeda ainda caminha para registrar alta semanal de quase de 1,5%.

O risco fiscal segue na agenda do mercado. Ontem, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que, em caso de uma segunda onda de coronavírus no Brasil, o auxílio emergencial com certeza será mantido. As dúvidas sobre como o governo conciliaria um novo pacote de auxílio econômico a um Orçamento apertado para 2021 têm dominado o radar dos investidores domésticos que há meses seguem frustrados com atrasos na agenda de reformas estruturais.

Nos indicadores, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), registrou alta de 1,29% em setembro sobre o mês anterior, mostrando recuperação na atividade econômica do terceiro trimestre diante do relaxamento das restrições de combate à pandemia.

Em Wall Street, os futuros dos principais índices também trabalham em alta com investidores ajustando seus portfólios para setores de energia e bancos, após uma semana de grande euforia nos mercados. O presidente do Federal Reserve de Nova York, John Williams, afirmou hoje que a recuperação econômica tem acontecido em um ritmo acima do esperado, mas que a economia do país ainda encontra-se em um “buraco profundo”. O estado de Nova York inicia hoje novas medidas de restrição social em combate ao vírus e apenas ontem, os EUA confirmaram mais de 150 mil novas infecções.

Também ontem, o governo do presidente Donald Trump apresentou um decreto proibindo investimentos nos EUA em empresas chinesas que, segundo Washington, são de propriedade, controladas ou investem nas forças armadas da China, provocando queda nos índices chineses no dia. O Shangai Composite encerrou a sessão com 0,86% em variação negativa. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).