Bitcoin ultrapassa US$ 19 mil e se aproxima de máxima

Suriyapong Koktong / GettyImages
Suriyapong Koktong / GettyImages

Demanda por ativos de risco e apetite por ativos considerados resistentes à inflação impulsionaram a criptomoeda

O bitcoin se aproximava ainda mais de seu nível máximo hoje (24), depois de atingir US$ 19 mil pela primeira vez em quase três anos.

A criptomoeda mais popular do mundo teve alta de mais de 3%, a US$ 19,002 mil, perto de seu recorde histórico de US$ 19,66 mil. O bitcoin ganhou quase 40% apenas em novembro e acumula alta de cerca de 160% este ano.

Alimentando o movimento, estava a demanda por ativos de risco em meio a estímulos fiscais e monetários sem precedentes para conter os danos econômicos da pandemia de Covid-19, além do apetite por ativos considerados resistentes à inflação e as expectativas de que as criptomoedas terão mais aceitação popular.

A história de 12 anos do bitcoin foi marcada por valorizações vertiginosas e quedas igualmente acentuadas. Seus mercados permanecem altamente opacos em comparação com ativos tradicionais, como ações ou títulos.

“O último rali do bitcoin … foi alimentado pela falta de liquidez no lado da oferta, especialmente nas bolsas”, disse Jacob Skaaning, do hedge fund de criptoativos ARK36, acrescentando que o volume de bitcoin nas plataformas de negociação caiu em meio à alta demanda. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).