Brasil teve entrada líquida de US$ 3,5 bi na semana passada

A conta financeira teve sobra de US$ 4,908 bilhões na semana passada de acordo com o BC

Redação
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Thomas White
REUTERS/Thomas White

A conta financeira teve sobra de US$ 4,908 bilhões na semana passada de acordo com o BC

Acessibilidade


O Brasil registrou forte entrada líquida de capital na segunda semana de novembro, a reboque da conta financeira e apesar do déficit nas operações comerciais.

O movimento de câmbio contratado mostrou saldo positivo de US$ 3,523 bilhões entre os dias 9 e 13 de novembro, ante saída líquida de US$ 186 milhões na semana anterior, mostraram dados do Banco Central divulgados nesta quarta (18).

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A conta financeira, por onde passam empréstimos, remessas de lucros e dividendos e investimentos para portfólio, teve sobra de US$ 4,908 bilhões na semana passada, enquanto as operações comerciais (exportação menos importação) tiveram perda líquida de US$ 1,384 bilhão.

Com o firme resultado da semana passada, o fluxo cambial parcial de novembro passou a ficar positivo em US$ 3,337 bilhões, sendo déficit de US$ 2,826 bilhões na ponta comercial e superávit de US$ 6,163 bilhões do lado financeiro.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em 2020, porém, o rombo ainda é de US$ 16,671 bilhões, com fluxo negativo de US$ 46,602 bilhões na conta financeira e superávit de US$ 29,931 bilhões nas operações comerciais.

O resultado parcial do mês e do ano, contudo, é melhor do que em intervalos iguais de 2019. Nos nove primeiros dias úteis de novembro de 2019, o fluxo cambial estava negativo em US$ 431 milhões, enquanto na parcial de 2019 até o período citado o movimento de câmbio contratado era deficitário em US$ 21,896 bilhões. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: