Economia deve receber injeção de R$ 110 bi até janeiro, estima Sachsida

Volume contempla a concessão do auxílio emergencial e saques do FGTS

Redação
Compartilhe esta publicação:
Orbon Alija/GettyImages
Orbon Alija/GettyImages

Volume contempla a concessão do auxílio emergencial e saques do FGTS

Acessibilidade


O secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, estimou nesta terça (17) que cerca de R$ 110 bilhões devem ser injetados na economia até janeiro por medidas tomadas durante a crise do coronavírus, recursos que irão ajudar na força da retomada.

O volume contempla a concessão do auxílio emergencial (R$ 45 bilhões que ainda não foram pagos aos que têm direito) e os saques do FGTS ainda não realizados. Também entram na conta os recursos poupados com o auxílio emergencial que já foram pagos, disse Sachsida, sem especificá-los.

“Isso nos dá muita convicção que a economia terá a necessária tração para, liderada pelo setor de serviços, fechar 2020 com tração, entrar bem em 2021 e, passo a passo em 2021 caminharmos para um crescimento cada vez maior e mais sustentável”, destacou.

Sachsida afirmou que o desemprego no Brasil está vindo majoritariamente do setor informal, que é mais flexível, e estimou que a população ocupada irá crescer em 2021 com redução do distanciamento social. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: