Eletrobras vê lucro cair 87% no 3° trimestre

Forbes/Reprodução

A Eletrobras, maior elétrica da América Latina, registrou lucro líquido de R$ 96 milhões no trimestre encerrado em setembro, queda de 87% na comparação anual, após redução na receita de geração, influenciada pelo desempenho de suas usinas nucleares, e provisões.

A empresa, que controla praticamente um terço da geração e metade da rede de transmissão de energia do Brasil, teve lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de R$ 1,96 bilhão no período, recuo de 29% na comparação anual. O Ebitda ajustado, que desconsidera efeitos não-recorrentes, foi de R$ 3,2 bilhões, queda de 18%.

A receita operacional líquida da estatal somou R$ 7,43 bilhões no trimestre, com avanço de 2% na comparação anual, enquanto os investimentos somaram 681 milhões de reais, com alta de 19% frente ao mesmo período de 2019.

A companhia somou R$ 5,27 bilhões como receita de geração, ante R$ 6,13 bilhões há um ano atrás, enquanto as receitas de transmissão avançaram para R$ 3,57 bilhões, de R$ 2,57 bilhões anteriormente.

O recuo no desempenho em geração deve-se a provisão de desvio negativo na geração de energia das usinas nucleares de Angra 1 e Angra 2, de 216 milhões de reais, após as usinas gerarem abaixo do que deveriam devido a uma extensão de parada além do previsto.

O resultado também foi afetado por provisões, com impacto negativo de R$ 2 bilhões , ante R$ 1 bilhão no ano anterior, com aumento em provisões para contingências, contratos onerosos e para ações referentes ao chamado empréstimo compulsório.

Nos nove meses de 2020, o lucro líquido da Eletrobras somou R$ 5 bilhões, contra R$ 7,62 bilhões no mesmo período de 2019, impactada por variação cambial em 2020 em mais de R$ 1 bilhão.

No trimestre, houve resultado negativo de R$ 221 milhões devido à flutuação do dólar e exposição cambial da companhia. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).