Ibovespa fecha em queda, mas garante ganho de 16% em novembro

Reprodução/Forbes

No último pregão do mês, o Ibovespa diminuiu o ímpeto altista e encerrou em queda de 1,52% aos 108.893 pontos em movimento de realização de lucros dos investidores após os ganhos expressivos das últimas semanas. No saldo de novembro, no entanto, a variação é positiva em 16%, o melhor desempenho do Ibovespa para o mês em mais de vinte anos. O índice brasileiro foi beneficiado pelas notícias de avanços em vacinas contra o coronavírus e pela eleição de Joe Biden nos EUA, movimento que renovou as expectativas positivas e, consequentemente, o apetite por riscos dos investidores nos mercados emergentes.

O movimento de rotação de carteiras e o fluxo de capital estrangeiro também foram pontos a favor do Ibovespa em novembro. Estrategistas consultados pela agência Reuters apontaram uma rotação nos portfólios de ações para papéis de empresas de ‘valor’ e ‘cíclicas’, com maior peso no Ibovespa, em detrimento de ações de ‘crescimento’, como as de tecnologia, como mais um componente para a forte recuperação, após o índice acumular perdas nos três meses anteriores.

O dólar comercial fechou a sessão em alta, subindo 0,39% para R$ 5,34. A retomada da moeda ocorreu em sintonia com o desempenho do dólar frente a uma cesta de moedas no exterior. Em novembro, contudo, a moeda norte-americana perdeu 6,82% contra o real, a maior baixa mensal desde outubro de 2018 (-7,79%) e a mais forte para o mês de novembro desde 2002.

No noticiário político, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), cobrou hoje empenho do governo na aprovação de uma reforma tributária no Congresso, ao mesmo tempo em que descartou a possibilidade de se prorrogar a chamada PEC da Guerra no próximo ano. Em entrevista ao Portal UOL, Maia disse acreditar que a reforma tributária tem voto para ser aprovada na Câmara desde que o governo resolva ajudar na articulação. Ele destacou que o relator da proposta na comissão mista, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), buscará esta semana um consenso para o texto. Caso não haja consenso, o presidente da Câmara afirmou que deixará o assunto para o próximo presidente da casa. Seu mandato se encerra no início de fevereiro de 2021.

Nos indicadores domésticos, o Boletim Focus do Banco Central revisou para cima mais uma vez as expectativas para a inflação medida pelo IPCA, para 3,54% em 2020. As projeções do mercado para a inflação estão há quatro meses em movimento de alta.

Os índices em Wall Street fecharam o dia em campo negativo, também em correção técnica após o rally das vacinas no mercado acionário norte-americano. As autoridades nos EUA estão prestes a aprovar a liberação de imunizantes para a população, colaborando para o reposicionamento dos investidores no mercado acionário. O Dow Jones encerrou o dia em baixa de 0,91%, o S&P 500 recuou 0,46% na sessão e o Nasdaq encerrou em queda de 0,06%.

No acumulado de novembro, no entanto, o saldo em é extremamente positivo, com o Dow Jones registrando o melhor desempenho mensal em três décadas, subindo 10,08%. O S&P 500 cresceu 9,41% e o Nasdaq avançou 11,33 no período. Setores como energia e bancos foram os mais beneficiados no mês. (Com Reuters)

DESTAQUES DO IBOVESPA

Maiores Altas

CRFB3: +3,61% a R$ 20,11

YDUQ3: +3,19% a R$ 33,02

AZUL4: +3,06% a R$ 38,02

CPFE3: +2,45% a R$ 31,35

GOLL4: +2,44% a R$ 23,52

 

Maiores Baixas

BTOW3: -8,11% a R$ 70,40

CSNA3: -5,67% a R$ 77,54

CIEL3: -5,59% a R$ 3,55

WEGE3: -4,45% a R$ 73,57

TIMS3: -4,33% a R$ 13,49

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).