Ibovespa fecha em queda, mas tem melhor semana desde fevereiro

O Ibovespa fechou a sessão de hoje (20) em queda de 0,59% aos 106.042 pontos com cautela dos agentes no exterior e reforço das preocupações sobre o risco fiscal no plano doméstico. No acumulado da semana, no entanto, o saldo para o índice brasileiro é positivo em 1,26%, marcando a terceira semana consecutiva de ganhos para o Ibovespa e o melhor desempenho em cinco pregões desde fevereiro. No ano, o índice ainda tem queda de 8,30%.

O retorno do investidor estrangeiro às compras em mercados emergentes tem colaborado com a performance do Ibovespa. Segundo dados da B3, apenas na quarta-feira (18), a entrada de capital externo somou R$ 965,1 milhões, com saldo líquido positivo de R$ 25,7 bilhões no mês.

O dólar saltou 1,36% ante o real hoje, na maior valorização diária em mais de três semanas, para R$ 5,38 na venda. Entre os catalisadores do movimento está a fala de ontem do ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmando que uma alternativa para redução da dívida pública é a venda de reservas internacionais. Uma leitura das palavras do ministro é que corte de gastos – a principal demanda do mercado – estaria para baixo na lista de prioridades.

Sobre venda de reservas, o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, admitiu nesta sexta-feira que essa ação entra no cardápio do governo para redução da dívida bruta, mas pontuou que quem decide a respeito é o Banco Central. Questionado a respeito, Waldery defendeu que a fala do ministro “entrou num contexto de uma gestão macroeconômica mais integrada e melhor feita, melhor desenhada”.

O dia tem como destaque ainda o bitcoin, que bateu o patamar histórico dos R$ 100 mil impulsionado pelo câmbio. No plano internacional, a criptomoeda é sustentada pela entrada de grandes players no mercado e de investidores institucionais.

Em Wall Street, os indicadores fecharam a sessão em queda sob pressão da redução de recursos para empréstimos emergenciais pelo Federal Reserve. Ontem, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, afirmou que os programas criados em apoio ao crédito corporativo serão encerrados em 31 de dezembro, pedindo ao Fed que devolva mais de US$ 70 bilhões destinados a essas despesas e não utilizados.

O mau humor em Nova York teve ainda como ingrediente os republicanos no Congresso negando que estejam dispostos a retomar as negociações para um novo pacote de estímulos à economia. A notícia havia sido divulgada na tarde ontem pelo senador Democrata, Chuck Schumer, impulsionando o fechamento em Wall Street. O Dow Jones encerrou em queda de 0,75%, o S&P 500 recuou 0,68% e o Nasdaq Composite perdeu 0,42% no dia. Na semana, os índices acumulam variação de -0,73%, -077% e +0,22%, respectivamente. (Com Reuters)

DESTAQUES DO IBOVESPA

Maiores Altas
PCAR3: +4,55% a R$ 73,00
IRBR3: +4,34% a R$ 6,97
CIEL3: +3,45% a R$ 3,90
RADL3: +3,05% a R$ 26,65
COGN3: +2,81% a R$ 5,12

Maiores Baixas
PRIO3: -6,07% a R$ 43,21
GOLL4: -3,91% a R$ 22,12
ECOR3: -3,44% a R$ 11,50
SANB11: -3,30% a R$ 37,84
LREN3: -3,20% a R$ 45,44

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).