Inflação impacta rentabilidade de títulos prefixados, mostra Anbima

Risco inflacionário resultou em perda de 0,61% no índice IRFM-1+

Redação
Compartilhe esta publicação:
teekid/GettyImages
teekid/GettyImages

Risco inflacionário resultou em perda de 0,61% no índice IRFM-1+

Acessibilidade


A variação do IPCA-15 no mês de outubro, em alta de 0,94%, já compromete a rentabilidade dos títulos públicos em mercado, com peso especial sobre os papéis prefixados. De acordo com informações da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), o IRFM-1+, índice de referência para a renda fixa, teve perda de 0,58% apenas entre os dias 23 e 31 de outubro.

No acumulado em outubro, o retorno negativo do IRFM-1+ foi de 0,61%, reduzindo o acumulado em 2020 para 4,76%. Em comunicado à imprensa, o gerente de Preços e Índices da Anbima, Hilton Notini, avalia que a “incerteza sobre como irá se comportar a inflação nos próximos meses, ou seja, se essa alta é temporária ou não, pode ter contribuído para a oscilação na carteira que compõe o índice.”

O IRFM-1+ reflete uma carteira com títulos prefixados com vencimento acima de 12 meses. Nos títulos prefixados com vencimento em até 12 meses, a rentabilidade no mês foi de 0,16%, com variação positiva anual até o momento de 3,29%.

Em outubro, a Anbima destaca ainda a recuperação da carteira de LFTs (Tesouro Selic) em mercado, saindo de queda de 0,27% em setembro, para alta de 0,13% em outubro.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: