Sem fluxo estrangeiro, Ibovespa fecha o dia próximo da estabilidade

O Ibovespa fechou o dia próximo da estabilidade, avançando 0,09% em aos 110.227 pontos em um dia de menor liquidez no mercado com o feriado do Dia de Ação de Graças nos EUA. A sessão também foi de poucos negócios para o dólar, com a moeda avançando 0,25% e negociada a R$ 5,33 na venda. O dólar vinha em dois dias de fortes quedas, em que acumulou retração 2,11%.

Os operadores no mercado de câmbio hesitaram em seguir na ponta de venda do dólar depois da cotação se aproximar novamente da média móvel de 200 dias, atualmente pouco abaixo de R$ 5,29. Evento similar ocorreu na semana passada.

Do lado mais estrutural, o foco dos mercados segue voltado para a sustentabilidade fiscal do Brasil – cujas dúvidas, segundo analistas, explicam grande parte da depreciação nominal de 24,8% da moeda brasileira ante o dólar neste ano.

“O risco não é a saída de estrangeiros, mas possivelmente de recursos domésticos se a situação se agravar. Como prevemos o déficit público recuar para o intervalo de 3% a 3,5% do PIB em 2021 e avanços nas reformas, esperamos o real ligeiramente mais forte ao término de 2021”, afirmaram analistas do UBS BB em revisão de cenário para a América Latina.

No cenário político, o ministro da Economia, Paulo Guedes, negou hoje que tenha atritos com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que ontem repetiu a necessidade do país se comprometer com uma dinâmica sustentável para o fiscal, defendendo a continuidade das reformas, e afirmando que a fragilidade das contas públicas do país contribui para a forte desvalorização do real, que tem ficado para trás em relação a seus pares emergentes. A declaração levou a uma reação de Guedes, que relatou uma série de medidas já tomadas e disse haver “falsas narrativas” contra ele, rechaçando ainda estar “desacreditado”.

Na agenda corporativa, o mercado repercutiu o plano estratégico da Petrobras divulgado na noite de ontem. A companhia cortou seu plano de investimento de cinco anos em 27% em relação ao anterior, para US$ 55 bilhões visando preservar o caixa, já que a pandemia de coronavírus derrubou a demanda e os preços globais do petróleo. Em comunicado, a Petrobras disse que irá se concentrar nos campos de petróleo do pré-sal, reduzindo a participação em ativos não essenciais para diminuir seu endividamento. A estatal planeja investir US$ 46 bilhões, ou 84% do total dos investimentos, em exploração e produção.

Sem pregão em Wall Street, as bolsas europeias fecharam o dia em campo negativo com investidores voltando a olhar para a segunda onda do coronavírus na região e seus impactos econômicos. A Alemanha anunciou ontem a prorrogação das restrições atuais e o Reino Unido irá implementar regras mais duras para a população após o término do lockdown de 30 dias.

Em função do feriado, as bolsas norte-americanas estiveram fechadas hoje e, amanhã, o pregão é retomado com horário reduzido para as negociações. (Com Reuters)

DESTAQUES DO IBOVESPA

Maiores Altas
SUZB3: +5,68% a R$ 53,40
PRIO3: +5,17% a R$ 50,48
CSNA3: +4,53% a R$ 24,25
COGN3: +4,30% a R$ 5,09
USIM5: +4,04% a R$ 13,90

Maiores Baixas
GNDI3: -2,58% a R$ 70,48
ITUB4: -2,11% a R$ 28,74
PCAR3: -2,06% a R$ 69,00
HAPV3: -1,86% a R$ 14,25
BBCD3: -1,73% a R$ 22,18

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).