Sem onda democrata, veja o sobe e desce das ações em Wall Street

EyeEm / GettyImages
EyeEm / GettyImages

Apostas em uma maioria democrata no Senado foram frustradas e, com elas, o desempenho de alguns setores

Os principais índices de ações nos EUA continuaram o movimento de alta semanal e recuperação no pregão de ontem (4), apesar da incerteza em curso sobre quem será o novo presidente da maior economia global. Veja como as ações e os setores econômicos estão se comportando, entre altas e baixas, com a perspectiva de uma vitória de Biden e de um Senado controlado pelos republicanos.

AOS FATOS

O Dow Jones Industrial Average fechou a quarta-feira (4) com alta de 370 pontos, ou 1,4%, enquanto o S&P 500 somou mais de 2%, e o Nasdaq no setor de tecnologia saltou quase 4%.

As ações da seguradora UnitedHealth subiram quase 12% e estão sustentando os ganhos do Dow, depois que a empresa anunciou o pagamento de dividendoS aos acionistas no próximo mês. Enquanto isso, Salesforce, Merck e Microsoft subiram mais de 5%.

Ações de tecnologia e biotecnologia foram os primeiros a reportar ganhos ontem, com alta massiva de quase 27% apenas neste ano, enquanto as perspectivas de uma divisão do Congresso esmagaram os temores de novas regulações com impacto negativo sobre gigantes da tecnologia, como Facebook, Alphabet e Amazon.

Apesar da recuperação mais ampla do mercado, o S&P 500 Financials Index caiu quase 1% na quarta-feira, com as ações de bancos regionais, como o Huntington Bancshares despencando até 10%, enquanto gigantes como Goldman Sachs e JP Morgan e caíram cerca de 3%.

As ações das empresas ligadas a fontes alternativas de energia caíram ontem, apesar da performance acima da média no ano. Os papéis da SunPower e SunRun caíram cerca de 2% cada, enquanto as ações da First Solar despencaram quase 9%.

O FUNDO

Os especialistas de Wall Street previram uma onda azul durante meses à medida que as pesquisas apontavam cada vez mais para um declínio no apoio ao presidente Trump. A expectativa era de que esse resultado prejudicasse as grandes empresas farmacêuticas e seguradoras privadas de saúde, mas beneficiaria construtoras residenciais e fornecedores de energia limpa. As previsões, no entanto, estavam erradas e os investidores ontem assistiram a uma reversão dos ganhos e perdas que precificaram sob as expectativas de uma onda democrata.

O QUE OBSERVAR

Uma eleição contestada não está fora da mesa, mas pode ser menos ameaçadora para os mercados do que se pensava inicialmente. Brad McMillan, diretor de investimentos da Commonwealth Financial Network, observa que “ainda podemos ver uma eleição disputada, mas o que realmente importa hoje é que o pior cenário agora está praticamente fora da mesa”, afirmou, acrescentando que a expectativa mais crítica para os investidores (como impostos ou mais regulação) agora é menos provável.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).