Suspensão do IPO do Ant foi decisão do presidente da China, diz WSJ

O presidente da China, Xi Jinping, decidiu encerrar a oferta inicial de ações de US$ 37 bilhões do Ant Group

Redação
Compartilhe esta publicação:
VCG/GettyImages
VCG/GettyImages

O presidente da China, Xi Jinping, decidiu encerrar a oferta inicial de ações de US$ 37 bilhões do Ant Group

Acessibilidade


O presidente da China, Xi Jinping, decidiu encerrar a oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) de US$ 37 bilhões do Ant Group, afirmou o Wall Street Journal nesta quinta (12), citando autoridades chinesas a par do assunto.

A decisão de interromper o que teria sido o maior IPO do mundo de todos os tempos veio dias depois que o bilionário fundador da gigante da fintech, Jack Ma, lançou um ataque público aos bancos e reguladores financeiros do país.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O presidente Xi ordenou que os reguladores chineses investigassem e encerrassem a listagem do Ant, afirma a reportagem.

O Ant não respondeu de imediato o pedido de comentários da Reuters. O Gabinete de Informação do Conselho de Estado da China não foi encontrado imediatamente para comentar.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ma disse em uma cúpula em Xangai em 24 de outubro que o sistema regulatório estava sufocando a inovação e deveria ser reformado para fomentar o crescimento. No início do mês, a Reuters relatou que o discurso desencadeou uma série de eventos que afetou o IPO do Ant.

Logo após o discurso mordaz de Ma, reguladores começaram a compilar reportagens, incluindo uma sobre como o Ant usou produtos financeiros como o Huabei, serviço de cartão de crédito virtual, para encorajar pobres e jovens a terem dívidas.

O gabinete geral do Conselho de Estado compilou um dossiê medindo o sentimento público sobre o discurso de Ma e o submeteu a líderes seniores, incluindo o presidente Xi. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: