Vale fecha acordo de exclusividade para negociar venda de Nova Caledônia

Ricardo Moraes / Reuters
Ricardo Moraes / Reuters

Empresa acrescentou que as negociações incluem questões pendentes de apoio para continuidade das operações da VNC e nova estrutura proprietária

A mineradora Vale informou que sua subsidiária Vale Canada Limited fechou um novo acordo de exclusividade de 30 dias para negociar a venda de sua participação na empresa Vale Nova Caledônia (VNC) para um consórcio.

As conversas, que seguem-se a uma tentativa anterior frustrada de venda do ativo, são com um grupo liderado pela atual administração e empregados da própria VNC, que é apoiado pelos governos da Nova Caledônia e da França e ainda tem a Trafigura como acionista minoritário, disse a Vale em comunicado na noite de quarta-feira.

A empresa acrescentou que as negociações incluem questões pendentes que visam apoiar a continuidade das operações da VNC e a transição da empresa para uma nova estrutura proprietária.

A VNC tem operações de níquel e cobalto na ilha de Nova Caledônia, no Pacífico. A Vale vem tentando negociar o ativo e chegou a anunciar em maio um acordo de exclusividade com a australiana New Century Resources (NCZ), mas depois informou em setembro que não houve entendimento final.

No comunicado desta quarta-feira sobre as conversas para venda da VNC, a Vale disse que “reafirma seu compromisso seus acionistas de transformar o negócio de Metais Básicos, simplificando suas operações e permitindo o foco nos ativos core”.

A mineradora não citou valores envolvidos nas conversas pela unidade de Nova Caledônia ou impactos esperados com o eventual fechamento da operação. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).