Apesar das políticas ambientais de Trump, investimentos ESG crescem nos EUA

Al Drago/GettyImages
Al Drago/GettyImages

Mercado espera boom em ativos sustentáveis em 2021

Nos meses que antecederam a eleição presidencial de 2016, o investimento socialmente responsável estava ganhando popularidade em Wall Street. Em fevereiro, Larry Fink, CEO da maior gestora de ativos do mundo, a BlackRock, com US$ 7 trilhões sob gestão, escreveu uma carta aberta aos CEOs globais: “Gerar retornos sustentáveis ​​ao longo do tempo requer um foco mais nítido não apenas na governança, mas também nos fatores ambientais e sociais enfrentados pelas empresas…A BlackRock tem empreendido um esforço de vários anos para integrar as considerações ESG em nossos processos de investimento e esperamos que as empresas tenham estratégias para gerenciar essas questões.”

Mas quando Donald Trump surpreendeu o mundo com sua vitória na corrida pela Casa Branca em novembro daquele ano, os defensores dos investimentos ambientais, sociais e de governança (ESG) tiveram mais dores de cabeça. “Havia muita preocupação com o fato do governo prejudicar os fluxos ao aprovar barreiras e regulamentações que vão contra nossos objetivos ao investir em mudanças climáticas e justiça social”, disse Justina Lai, diretora de impacto da Wetherby Asset Management, com sede em San Francisco. “A perpétua urgência em torno dessas questões foi apenas exacerbada pela pandemia e pelo assassinato de George Floyd. Com a administração Trump, vieram quatro anos de oportunidades perdidas de progresso adicional que poderiam ter sido feitas sem um governo obstrucionista.”

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Trump, por outro lado, foi claro sobre seu objetivo de reverter muitas das mudanças da era Obama que favoreciam o meio ambiente e as regulamentações corporativas neste sentido. Quatro anos depois, no entanto, a retórica de Trump e as mudanças regulatórias foram incapazes de descarrilar a locomotiva do investimento socialmente consciente.

Ativos dedicados a investimentos sustentáveis

Forbes

“A realidade é que tivemos mais crescimento nos últimos quatro anos, do que nos 12 anos anteriores. Depois da eleição de 2016, as pessoas disseram que se o governo não trabalhar nessas questões, teremos que fazer isso por nós mesmos ”, afirma Peter Krull, CEO e diretor de investimentos da Asheville, empresa localizada na Carolina do Norte. “Se os últimos quatro anos de crescimento foram com ventos contrários, estou muito animado para ver um vento a favor.”

“De várias maneiras, as preocupações com a nova administração acabaram por mobilizar os governos municipais, estaduais e locais, bem como o setor privado”, acrescenta Lai. “Outras partes da economia se mostraram à altura da ocasião.”

De acordo com o último relatório bienal do Fórum para o Investimento Sustentável e Responsável dos Estados Unidos (US SIF), o total de ativos sob gestão nos EUA que empregam estratégias de investimento ESG aumentou 42% nos últimos dois anos, para US$ 17 trilhões em 2020, de US$ 12 trilhões em o início de 2018. O valor representa 33% de todos os ativos dos EUA sob gestão profissional, o que significa que um em cada três dólares de investimento é investido desta forma.

Embora o presidente eleito Joe Biden demonstre ir na contramão do antecessor na pauta ESG, não será preciso muito para incentivar o crescimento contínuo destes investimentos. A maioria das empresas já está esclarecida que ser responsável ambientalmente e socialmente é bom não só para os clientes e stakeholders, mas também para os acionistas.

O Brown Advisory Sustainable Growth Fund, que tem US$ 4,4 bilhões em ativos, atraiu fluxos líquidos de mais de US$ 2,6 bilhões e produziu um retorno total de mais de 152% nos últimos cinco anos, superando em muito o retorno de 101% no mesmo período do índice Russell 1000 que reúne empresas com grande capitalização de mercado. Os ETFs voltados para a energia limpa se saíram ainda melhor. O ETF Invesco WilderHill Clean Energy ganhou mais de 170% somente neste ano. Os ingressos líquidos para ESG ETFs foram de US$ 32 bilhões nos primeiros 11 meses de 2020, o triplo da taxa de 2019, de acordo com a CFRA Research. (Veja a tabela dos ETFs ESG de melhor desempenho abaixo)

É provável que as coisas melhorem sob a administração Biden e suas escolhas para o gabinete já vão nesta direção. “Uma coisa que a administração Biden comunicou é sua intenção de exigir que as empresas públicas divulguem mais informações sobre riscos financeiros e dados de emissões relacionados às mudanças climáticas em uma perspectiva operacional”, disse a diretora de investimentos sustentáveis ​​da Northern Trust Asset Management, Emily Lawrence. “O crescimento em dados de alta qualidade certamente nos permitirá continuar a tomar decisões mais informadas.”

“Nos últimos dois anos, a administração Trump trouxe uma série de políticas que tornaram o investimento responsável mais difícil e esperamos poder reverter algumas dessas políticas e seguir em frente”, Fiona Reynolds, CEO de Princípios para Investimento Responsável das Nações Unidas diz. “Nunca me senti mais certo sobre o futuro da sustentabilidade do que agora.”

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Fidelity Investments

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).