Banco Central adia PIX com pagamento em datas futuras

Adriano Machado / Reuters
Adriano Machado / Reuters

Pagamento em datas futuras pelo PIX é adiado para março de 2020

O Banco Central publicou ontem (14) no Diário Oficial da União que o PIX, forma de pagamento instantânea, poderá ser uma forma de cobrança com vencimento em datas futuras, mas a proposta foi adiada para o dia 15 de março de 2021, o que era para ocorrer no dia 4 de janeiro. Até o momento, o Bacen não justificou o adiamento.

O PIX Cobrança para pagamentos com vencimentos posteriores permite que empresas ou microempreendedores utilizem QR para efetuar a transação. O PIX foi lançado no dia 16 de novembro.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Para utilizar o PIX, atualmente, o usuário de alguma instituição financeira aprovada pelo BC precisa criar uma chave PIX, que é o dado que será usado para que pessoas efetuem transferências no exato momento para o dono da conta e vice-versa. A chave pode ser o CPF do cliente do banco para pessoas físicas, CNPJ para pessoas jurídicas, número telefone ou um código aleatório emitido pelo banco de 32 dígitos.

As transferências via PIX funcionam 24h por dia e 7 dias por semana, levando até 10 segundos para serem realizadas. Segundo o presidente do Banco Central Roberto Campos Neto, a instituição foi surpreendida “positivamente” com o uso do sistema, “O número de operações que nós temos diários hoje, eu, honestamente, que era mais otimista aqui, achava que ia levar alguns meses, talvez mais de um ano, e a gente atingiu em algumas semanas”, declarou. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).