BC do Japão estuda ajustes em estímulos com temores de deflação

Kohei Hara/GettyImages
Kohei Hara/GettyImages

O presidente do BOJ, Haruhiko Kuroda, disse que a revisão da política monetária não levará a grandes mudanças no controle da curva de juros

As autoridades do Banco do Japão (BOJ, na sigla em inglês) estavam divididas em relação a até onde ir no ajuste de seu programa de estímulo, com alguns pedindo uma revisão de sua estratégia para atingir 2% de inflação, mostrou um resumo das opiniões compartilhadas na reunião de revisão de juros de dezembro.

O exame da política monetária se concentrará em ajustar as compras do BOJ de fundos negociados em bolsa (ETF, na sigla em inglês) e operações para controlar a curva de juros, de acordo com o resumo da reunião de 17 e 18 de dezembro, divulgado hoje (28).

O presidente do BOJ, Haruhiko Kuroda, disse que a revisão da política monetária não levará a grandes mudanças no controle da curva de juros, e, em vez disso, focará no ajuste minucioso da estrutura para torná-la mais sustentável.

Mas alguns membros do conselho do BOJ pediram uma revisão mais ambiciosa, já que o impacto da Covid-19 no crescimento aumentou os temores de um retorno à deflação, mostrou o documento.

“Para evitar um retorno à deflação, o BOJ deve avaliar sua estratégia, ferramentas e comunicação para atingir sua meta de preço”, mostrou uma opinião citada. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).