Bilionário italiano Remo Ruffini anuncia parceria da Moncler com a marca de streetwear Stone Island

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Ruffini diz que a aquisição fortalecerá a posição da Moncler em uma indústria da moda de luxo dominada por conglomerados como LVMH e Kering

A marca italiana de roupas esportivas de luxo Moncler anunciou uma de suas maiores aquisições até o momento: um acordo de US$ 1,4 bilhão com a Stone Island, um concorrente italiano popular entre celebridades, incluindo os artistas de hip-hop Drake e Travis Scott. As ações da Moncler fecharam quase 2% em alta com a notícia, elevando o patrimônio líquido do presidente e CEO da empresa, Remo Ruffini, em cerca de US$ 50 milhões, para US$ 3,1 bilhões.

A aquisição marca uma expansão significativa para a empresa, que quase faliu 17 anos atrás, quando Ruffini –então consultor criativo e empresário de moda — a comprou de seus proprietários franceses. Ele reformulou a marca e a tornou pública em 2013 em um dos IPOs mais bem-sucedidos da Itália na época, uma listagem que rendeu a Ruffini sua estreia na lista Forbes World’s Billionaires em 2014, com um patrimônio líquido de US$ 1,4 bilhão. Stone Island, fundada em 1982, já foi associada aos hooligans do futebol na Europa, antes de se transformar em streetwear de alta qualidade.

VEJA TAMBÉM: LVMH Luxury Ventures investe em site de relógios de luxo

“Stone Island é uma grande história de sucesso, uma empresa que construiu um relacionamento excepcionalmente forte com sua comunidade, oferecendo um produto altamente diferenciado”, disse Ruffini em um comunicado. “Estamos nos aproximando em um momento desafiador para a Itália e para o mundo, quando tudo parece incerto e imprevisível. Mas acredito que é exatamente nesses momentos que precisamos de novas energias e inspirações para construir nosso amanhã.”

O CEO da Stone Island, Carlo Rivetti, e sua família, que juntos possuem 70% da empresa, receberão quase US$ 1 bilhão desconsiderando impostos –cerca de US$ 490 milhões em dinheiro, mais 10,7 milhões de ações da Moncler recém-emitidas no valor de cerca de US$ 485 milhões. Após o fechamento da transação, Rivetti fará parte do conselho de diretores da Moncler. Ruffini parece querer trazer Rivetti para um papel de tomada de decisão na companhia e planeja mudar o nome de sua entidade acionária para “Double R”, representando as iniciais de ambas as famílias.

Os 30% restantes da Stone Island são detidos pela empresa de investimento do governo de Singapura Temasek Holdings, que poderá escolher entre receber 4,6 milhões de novas ações da Moncler por cerca de US$ 45,50 ou fazer o negócio todo em dinheiro.

Ruffini diz que a aquisição fortalecerá a posição da Moncler em uma indústria da moda de luxo dominada por conglomerados como LVMH, de Bernard Arnault, e Kering, de François Pinault.

“Esta é uma união de duas marcas italianas com os mesmos valores, o mesmo rigor de gestão, a mesma paixão pela inovação, o mesmo amor pelas suas pessoas e a mesma vontade de futuro”, afirmou. “É a celebração da resiliência de um país que nenhuma crise pode parar.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).