Chefe da UE diz que pacto comercial com Reino Unido está mais próximo

Insistência da UE é de que o Reino Unido não contorne normas ambientais, trabalhistas e sociais, bem como auxílios estatais.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Amer Ghazzal / GettyImages
Amer Ghazzal / GettyImages

Insistência da UE é de que o Reino Unido não contorne normas ambientais, trabalhistas e sociais, bem como auxílios estatais

Acessibilidade


O Reino Unido e a União Europeia se aproximaram de fechar um novo acordo comercial, mas ainda não estava claro se teriam sucesso, disse a chefe-executiva do bloco hoje (16).

Os dois lados estão na reta final de negociações para manter cerca de US$ 1 trilhão em comércio anual livres de tarifas e cotas após 31 de dezembro, quando o Reino Unido finalmente sairá do maior bloco comercial do mundo.

“Não posso dizer se haverá um acordo ou não. Mas posso dizer que há um caminho para um acordo agora. O caminho pode ser muito estreito, mas está lá”, disse a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, ao Parlamento Europeu.

Seus comentários relativamente otimistas sobre a longa crise do Brexit ajudaram a impulsionar a libra esterlina, embora ela tenha dito que dois problemas ainda não foram resolvidos.

“Encontramos um caminho para a maioria das questões, mas duas questões ainda permanecem pendentes: a igualdade de condições e a pesca”, disse ela. “As questões ligadas à governança agora foram amplamente resolvidas. Os próximos dias serão decisivos.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A questão da igualdade de condições refere-se à insistência da UE de que o Reino Unido não contorne normas ambientais, trabalhistas e sociais, bem como auxílios estatais, enquanto a governança cobre a resolução de disputas.

Von der Leyen disse que as discussões sobre o acesso das embarcações da UE às águas de pesca do Reino Unido são “ainda muito difíceis”. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Compartilhe esta publicação: