Concessões de crédito durante a pandemia somam R$ 2,9 trilhões, aponta Febraban

Priscila Zambotto/GettyImages
Priscila Zambotto/GettyImages

Taxas de juros e os spreads tiveram recuos entre fevereiro e setembro

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) divulgou hoje (7) o relatório que destaca as concessões de crédito que ocorreram entre 01 de março e 20 de novembro de 2020. As contratações, renovações e suspensão de parcelas somam R$ 2,9 trilhões.

Segundo o Bacen, durante o mesmo período, as operações no segmento livre de crédito para pessoa jurídica foi de R$ 160 bilhões e, de 16 de março a 20 de novembro, o setor renegociou 16,1 milhões de contratos com operações em dia, que tem um saldo devedor total de R$ 937 bilhões. Em comparação com 2019, houve o crescimento de 13,7% nas operações de crédito para PJ.

Durante o mesmo período, o setor bancário fez concessões de crédito para micro e pequenas empresas de cerca de R$ 278,1 bilhões. De acordo com a nota divulgada para a imprensa da Febraban, esses valores trazem um alívio financeiro imediato para as empresas e consumidores que passaram a ter carência entre 60 a 180 dias para pagar suas prestações.

A Febraban também informou que, a partir do momento que a OMS declarou pandemia, houve uma alta significativa nas concessões. Contudo, apesar do aumento do risco nas operações de crédito e a expectativa de aumento da inadimplência, as taxas de juros e os spreads bancários mostraram recuos mensais de fevereiro até setembro. Vale ressaltar que as taxas de juros e os spreads seguem em patamares historicamente baixos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).