Exportações da China sobem 21% em novembro, ritmo mais forte em quase 3 anos

Os embarques levaram a um superávit comercial em novembro de US$ 75,42 bilhões.

Redação
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Fernando Donasci
REUTERS/Fernando Donasci

Os embarques levaram a um superávit comercial em novembro de US$ 75,42 bilhões

Acessibilidade


As exportações da China aumentaram no ritmo mais forte em quase três anos em novembro, uma vez que a forte demanda global por produtos necessários para enfrentar a pandemia garantiu à segunda maior economia do mundo um superávit comercial recorde. As exportações subiram em novembro 21,1% em relação ao ano anterior, mostraram dados da alfândega hoje (7), o crescimento mais forte desde fevereiro de 2018. O resultado também superou com força a expectativa de analistas de expansão de 12% e acelerou ante a alta de 11,4% em outubro.

Os fortes embarques levaram a um superávit comercial em novembro de US$ 75,42 bilhões, o maior desde 1981, quando os registros da Refinitiv começaram. Também foi maior que a expectativa em pesquisa de superávit, de US$ 53,5 bilhões.

As exportações da China foram sustentadas pela forte demanda externa por equipamentos de proteção individual (EPIs) e produtos eletrônicos para trabalhar de casa, assim como a demanda sazonal do Natal, disseram analistas do Nomura em nota.

A força das exportações aconteceu apesar de o iuan (moeda chinesa) rondar máximas de vários anos contra o dólar, o que pode ser boa notícia para as autoridades preocupadas com o impacto do enfraquecimento da moeda norte-americana na competitividade comercial da China.

As importações avançaram 4,5% em novembro na comparação com o mesmo mês do ano anterior, contra crescimento de 4,7% em outubro e abaixo da expectativa de aumento de 6,1%, mas ainda registrando o terceiro mês seguido de aumento.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Analistas dizem que a melhora da demanda doméstica e os preços mais altos das commodities ajudaram a impulsionar a leitura. Entretanto, destacaram alguns sinais de que a demanda por produtos relacionados à pandemia perdeu força. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: