Guedes fala de medida em 2020 para diminuir subsídios

Andre Coelho / GettyImages
Andre Coelho / GettyImages

Ministro avaliou que o dólar já fez overshooting após alcançar o patamar de R$ 5,80

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o país deve enviar sinal de compromisso com o ajuste fiscal antes do fim do ano por meio de medida relacionada à redução de subsídios e avaliou que o dólar já fez overshooting após alcançar o patamar de R$ 5,80 .

Em participação transmitida nesta hoje (09) no evento “2020 Asia Summit”, do Milken Institute, Guedes acrescentou que agora os fluxos estão voltando ao país.

Sem especificar, o ministro afirmou que antes de o ano acabar o governo deve enviar “forte sinal” de que está promovendo ajuste fiscal.

“Depois de termos reduzido os gastos previdenciários, gastos com juros da dívida pública, com a folha de pagamento dos funcionários públicos, estamos enviando também um forte sinal de redução de subsídios”, disse.

Ele reconheceu que houve grande inclinação da curva de juros em meio a questionamentos sobre como será o próximo ano após um gasto da União de cerca de 8% do Produto Interno Bruto (PIB) no enfrentamento à pandemia de coronavírus.

Guedes ressaltou, contudo, que “de maneira alguma” o país irá transgredir o mecanismo do teto, que limita o crescimento das despesas públicas à inflação do ano anterior.

Ele disse que o presidente Jair Bolsonaro reiterou essa mensagem recentemente, inclusive reafirmando que o auxílio emergencial irá acabar ao fim deste ano, o que ajudou no humor dos mercados.

Quanto ao câmbio, o ministro avaliou que o cenário já mudou.

“Estamos cientes que a taxa de câmbio já fez o overshooting, já foi para R$ 5,80, e agora os fluxos –fluxos financeiros e fluxos de investimento– estão começando a vir”, disse.

Sobre a volatilidade cambial, Guedes chamou a atenção para a existência de “duas ondas”, sendo a primeira relacionada à nova realidade dos juros básicos no Brasil, que fez com que US$ 70 bilhões a US$ 80 bilhões em “dinheiro de arbitragem” deixasse o país.

Ele afirmou ainda que, com a chegada da pandemia, muitos previram quedas mais drásticas da economia brasileira, o que também aumentou a volatilidade.

“A volatilidade será reduzida de agora em diante porque reformas fundamentais estão sendo implementadas agora. E o grande salto, de uma vez por todas, que foi essa mudança de uma moeda sobrevalorizada para uma mais realista, já aconteceu –é de uma vez por todas, já aconteceu, de R$ 3 para R$ 5”, disse.

Questionado sobre a oferta de hedge cambial para investimentos de longo prazo no país, Guedes disse acreditar que isso será provido pelo mercado privado, mas pontuou que o governo “estará lá para oferecer isso também”. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).