Ibovespa sobe com vacinação nos EUA e mais negociações para o Brexit

O Ibovespa abre a segunda-feira (14) em alta de 0,36% aos 115.545 pontos. O índice brasileiro acompanha a recuperação dos ativos no exterior, com o mercado olhando para a prorrogação das negociações para o Brexit e o início da vacinação contra covid-19 nos EUA. No fim de semana, o FDA – órgão norte-americano semelhante à Anvisa no Brasil – autorizou o uso emergencial do imunizante da Pfizer/BioNTech. Na primeira etapa, serão vacinados 20 milhões de profissionais de saúde nos EUA.

Também em função das vacinas, a expectativa de retorno na demanda global pelo petróleo dá fôlego para novas altas no preço da commodity, impulsionando também os papéis da Petrobras (PETR4) no dia, que às 10h27, horário de Brasília, valorizaram 2,39%, negociados R$ 28,23.

“Os mercados globais iniciam mais uma semana em tom positivo, com investidores esperançosos após a extensão de negociações chave nas políticas americana e europeia, além do ânimo que vem na esteira do início da distribuição da vacina da Pfizer/BioNTech nos EUA”, disse em nota o time econômico da Guide Investimentos.

Enquanto isso, com a aproximação do recesso do Legislativo, a expectativa é de que várias pautas pendentes, como o Orçamento para 2021 e a reforma tributária, sejam votadas apenas no ano que vem. “Sendo assim, investidores passarão a virada do ano ponderando quando e como o governo pretende retomar o ímpeto da pauta econômica”, escreveu a Guide.

Nos indicadores, o mercado ajustou suas expectativas para a economia brasileira e elevou pela 10ª vez seguida a conta para a inflação neste ano, de acordo com o Boletim Focus divulgado hoje (14) pelo Banco Central. O levantamento mostrou que a expectativa agora é de uma alta de 4,35% dos preços neste ano, contra 4,21% na semana passada. Para 2021, permanece cenário de avanço do IPCA de 3,34%.

O bom humor global enfraquece o dólar, recuando em queda de 0,33% contra o real nesta manhã, negociado a R$ 5,02 na venda. A fraqueza da moeda norte-americana – que é procurada em momentos de aversão ao risco – reflete ainda, entre outros fatores, a expectativa em relação a mais estímulos fiscais e monetários nos Estados Unidos, com o Congresso do país discutindo um novo pacote fiscal de US$ 908 bilhões em apoio a empresas e desempregados. A nova proposta exclui pontos polêmicos entre democratas e republicamos, como o socorro aos estados e municípios, além de proteção legal às empresas afetadas pela crise atual.

Na Europa, Londres e Bruxelas concordaram ontem em “ir adiante” nos próximos dias para tentar selar o tão esperado acordo comercial entre as partes, prorrogando o prazo para evitar a saída turbulenta dos britânicos da União Europeia ao final deste mês. O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, e a presidente da Comissão Executiva da UE, Ursula von der Leyen, tinham dado aos negociadores a data-limite deste domingo para a resolução do impasse sobre os termos que garantem à Grã-Bretanha acesso a tarifa zero e alíquota zero no mercado europeu.

Em Wall Street, os futuros do Dow Jones e do S&P 500 avançavam 0,82% e 0,70%, respectivamente. Na Europa, o FTSE 100, de Londres, ganhava 0,14% e o DAX, da Alemanha, tinha alta de 1,23% às 10h27, horário de Brasília. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).