Ibovespa tem alta discreta em dia volatilidade global

Depois de altos e baixos durante o dia, o Ibovespa fechou o pregão de hoje (8) próximo da estabilidade, avançando 0,18% aos 113.793 pontos, com os papéis da BRF (BRFS3) entre os principais destaques do dia, disparando 8,6% após o anúncio de investimentos e perspectivas positivas para os próximos anos.

Na visão do chefe de renda variável da EWZ Capital, Bruno Guimarães, há um clima de correção na bolsa brasileira, após cinco semanas de valorização relevante do Ibovespa, que “voou” dos 104 mil, para a faixa de 113 mil pontos. Guimarães não descarta a Bolsa sofrer uma “chacoalhada” no curto prazo em meio ao movimento de realização de lucros, mas pondera que o movimento deve ser pequeno e que a sua percepção é de viés de alta para o final de 2020.

Entre o risco fiscal e a entrada de fluxo estrangeiro, o dólar não conseguiu escapar da oscilação, mas tomou fôlego e fechou o dia com 0,16% de valorização contra o real e negociado a R$ 5,12 na venda, apoiado na recuperação da divisa no exterior em um dia de baixo apetite por riscos dos investidores. De acordo com análise do Morgan Stanley, a pausa no rally de preços do dólar mostra que o mercado está “overweight” (com posição acima da média) em ativos da América Latina.

“As posições em real ainda parecem muito mais limpas de acordo com nossa métrica, mas outros indicadores, como contratos da B3, sugerem que o mercado já está muito vendido em dólar”, disseram analistas do banco em nota. O dólar acumula queda de 10,9% desde 3 de novembro, data da eleição norte-americana.

Ainda no cenário doméstico, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje a inflação de novembro, em alta de 0,89%, o maior desempenho para o mês desde 2015. Com o resultado, puxado pelo preço dos alimentos, a inflação em 2020 registra alta de 3,13% e, em 12 meses, acumula valorização de 4,31%, acima do centro da meta do governo para o ano, de 4%.

Segundo João Beck, sócio da BRA Investimentos, a alta dos preços dos alimentos, no entanto, é transitória. “A Aneel também antecipou para dezembro o reajuste da bandeira tarifária, o que deve pressionar a inflação do ano corrente, mas reduz a do ano seguinte”, explica. A expectativa para o IPCA em 2021, segundo o Boletim Focus, é de 3,3%, ainda abaixo da meta do Banco Central.

A volatilidade marcou presença também em Wall Street. Os índices recuperaram terreno na parte da tarde com suporte dos papéis de tecnologia, saúde, indústrias e energia. Durante toda a sessão, as atenções estiveram voltadas para a reta final das negociações para o Brexit, na Europa, e para um segundo pacote de estímulo fiscal, nos EUA. Ambos os tópicos encerrando mais um dia sem avanços concretos.

O Dow Jones terminou o pregão com alta de 0,35%, o S&P 500 avançou 0,28% e o Nasdaq Composite teve ganho de 0,50% na sessão. (Com Reuters)

DESTAQUES DO IBOVESPA

Maiores Altas
BRFS3: +8,69% a R$ 23,13
ELET3: +5,92% a R$ 35,62
ELET6: +4,99% a R$ 35,96
MGLU3: +4,83% a R$ 24,95
HYPE3: +3,85% a R$ 32,64

Maiores Baixas
USIM5: -4,29% a R$ 13,84
PRIO3: -2,74% a R$ 54,00
EMBR3: -2,03% a R$ 9,18
EQTL3: -1,73% a R$ 21,63
GOAU4: -1,68% a R$ 10,54

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).