Minério de ferro na China toca máxima contratual com compras especulativas

Contrato de referência foi inflacionado pela entrada de grandes volumes de dinheiro especulativo.

Redação
Compartilhe esta publicação:
istock / GettyImages
istock / GettyImages

Contrato de referência foi inflacionado pela entrada de grandes volumes de dinheiro especulativo

Acessibilidade


Os futuros do minério de ferro de referência na China saltaram mais de 7% hoje (10), tocando máxima contratual, com compras especulativas impulsionadas por expectativas de que uma recuperação da economia leve a uma forte demanda pelo material usado na fabricação do aço.

O contrato mais ativo do minério de ferro na bolsa de Dalian, para entrega em maio, chegou a subir até 7,3%, para 976 iuanes (US$ 149,10) por tonelada, antes de fechar com ganhos de 6,8%, a 971 iuanes.

Para Atila Widnell, da Navigate Commodities, o contrato de referência foi inflacionado pela entrada de grandes volumes de dinheiro especulativo, com apostas de que o futuro crescimento econômico vá beneficiar o minério de ferro.

Zhuo Guiqiu, analista da Jinrui Capital, também sugeriu que mais recursos decorrentes de medidas de relaxamento monetário de governos para combater a pandemia estão fluindo para os mercados com melhores fundamentos.

“O minério de ferro deve enfrentar escassez de oferta enquanto a demanda tanto na China quanto em outros mercados deve aumentar no próximo ano”, afirmou.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A bolsa chinesa de Dalian disse que irá ajustar requerimentos de margem para especulações com futuros do minério de ferro para maio, além de outras medidas a partir da próxima semana.

Enquanto isso, os futuros do aço na bolsa de Xangai saltaram 2,4%, para 4.040 iuanes por tonelada. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Compartilhe esta publicação: