Minério de ferro salta 6% para mais de US$ 160/t na China

Minério de ferro de Dalian avançou cerca de 123% este ano, melhor desempenho global pelo segundo ano consecutivo.

Redação
Compartilhe esta publicação:
a-W-Banagan_GettyImages
a-W-Banagan_GettyImages

Minério de ferro de Dalian avançou cerca de 123% este ano, melhor desempenho global pelo segundo ano consecutivo

Acessibilidade


s contratos futuros do minério de ferro no maior produtor global de aço, a China, atingiram máximas nesta sexta-feira, com a commodity mais “quente” deste ano marcando seu sétimo ganho semanal consecutivo, diante do otimismo sobre a demanda e as preocupações com a oferta.

O minério de ferro mais negociado para entrega em maio na Bolsa de Commodities de Dalian encerrou as negociações com alta de 6,2%, a 1.073,50 iuanes (164,15 dólares) a tonelada, depois de atingir uma máxima de contrato de 1.076,50 iuanes. O minério de ferro na Bolsa de Cingapura subiu 4,1%, para 163,40 dólares a tonelada. Os benchmarks de Dalian e Cingapura subiram mais de 20% este mês, com um anúncio da mineradora brasileira Vale em 2 de dezembro de metas de produção reduzidas para 2020 e 2021, adicionando combustível a um rali impulsionado pela intensa demanda de aço da China.

Sinais de fraqueza nas exportações de minério de ferro do principal fornecedor, a Austrália, também apoiaram a matéria-prima do aço, que avançou apesar de uma chamada para uma investigação regulatória sobre a alta dos preços pelas grandes produtoras de aço chinesas.

O minério de ferro de Dalian avançou cerca de 123% este ano, colocando o produto no caminho de ser a commodity de melhor desempenho globalmente pelo segundo ano consecutivo, já que também se beneficia de uma enxurrada de apostas especulativas.

O minério de ferro “spot” na China fechou a 164,50 dólares a tonelada nesta sexta-feira, maior valor pelo menos desde 2011, mostraram dados da consultoria SteelHome.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Apesar da desaceleração do inverno na produção de aço da China, os estoques caíram de forma constante à medida que a desestocagem continuou. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Compartilhe esta publicação: