Preços do petróleo sobem com vacinas e explosão de navio-tanque na Arábia Saudita

O petróleo Brent subia US$ 0,46, ou 0,92%, a US$ 50,43 por barril, às 8h03, horário de Brasília.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Pramote Polyamate/GettyImages
Pramote Polyamate/GettyImages

O petróleo Brent subia US$ 0,46, ou 0,92%, a US$ 50,43 por barril, às 8h03, horário de Brasília

Acessibilidade


Os preços do petróleo subiam hoje (14), com o Brent novamente acima dos US$ 50 por barril, impulsionados por esperanças de que o lançamento de vacinas contra o coronavírus aumentem a demanda global por combustíveis, enquanto a explosão de um navio-tanque na Arábia Saudita também mexia com os nervos do mercado.

O petróleo Brent subia US$ 0,46, ou 0,92%, a US$ 50,43 por barril, às 8h03, horário de Brasília. O petróleo dos Estados Unidos avançava US$ 0,39, ou 0,84%, a US$ 46,96 por barril.

Uma empresa de navegação disse que um navio-tanque foi atingido por uma fonte externa enquanto descarregava no porto saudita de Jeddah, o que também apoiava os preços.

“O petróleo Brent está sendo apoiado tanto pelos fluxos físicos quanto financeiros”, disse o chefe de análise de commodities do SEB, Bjarne Schieldrop, ao citar as vacinas e a desvalorização do dólar.

O Brent e o WTI têm registrado avanço por seis semanas consecutivas, a maior sequência positiva desde junho.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Petrobras

A Petrobras avançou em processo para a venda de 50% de sua participação nas concessões do importante Polo Marlim, ao iniciar a chamada fase não vinculante da operação, informou a estatal em comunicado nesta segunda.

Nessa etapa, potenciais compradores interessados receberão instruções sobre o desinvestimento, incluindo acesso a uma sala virtual de informações sobre as concessões e orientações para o envio de propostas iniciais e não firmes pelo ativo.

O Polo Marlim compreende 4 concessões de produção na Bacia de Campos, em águas profundas e ultra profundas. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: