Programa de recompra de US$ 10 bi do Alibaba não impede queda das ações

Uma forte liquidação ao longo de dois pregões derrubou quase US$ 116 bilhões do valor de mercado da empresa.

Redação
Compartilhe esta publicação:
VCG/GettyImages
VCG/GettyImages

Uma forte liquidação ao longo de dois pregões derrubou quase US$ 116 bilhões do valor de mercado da empresa

Acessibilidade


As ações do Alibaba caíram 9%, para seu nível mais baixo desde junho, hoje (28), após o programa de recompra de ações de US$ 10 bilhões da empresa não aliviar preocupações com uma repressão regulatória sobre a companhia.

Uma forte liquidação ao longo de dois pregões derrubou quase US$ 116 bilhões do valor de mercado da empresa, listada em Hong Kong.

O movimento se intensificou quando reguladores chineses anunciaram na quinta o lançamento de uma investigação antitruste sobre o Alibaba e disseram que convocariam a subsidiária Ant Group para uma reunião. As ações do Alibaba nos Estados Unidos chegaram a cair mais de 15% durante o dia.

“A investigação antitruste sobre o Alibaba ainda não especificou as penalidades, o que preocupa muito os investidores”, disse Zhang Zihua, diretor de investimentos da Beijing Yunyi Asset, acrescentando que o resultado da investigação pode “mudar muito” a avaliação da empresa.

Deixando investidores ainda mais nervosos, no fim de semana o banco central da China pediu à Ant para suspender a atividade de empréstimos e outras operações de financiamento ao consumidor.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“As novas regulamentações estão prejudicando as grandes plataformas da internet, então você vê que a Tencent e outras empresas de tecnologia também estão vendo os preços de suas ações caírem”, disse Li Chengdong, analista de tecnologia de Pequim. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: