Vendas no varejo dos EUA recuam mais do que o esperado em novembro

Varejo foi prejudicado pelas novas medidas de lockdown e pela redução da renda familiar .

Redação
Compartilhe esta publicação:
John Lamparski / GettyImages
John Lamparski / GettyImages

Varejo foi prejudicado pelas novas medidas de lockdown e pela redução da renda familiar

Acessibilidade


As vendas no varejo dos Estados Unidos caíram pelo segundo mês consecutivo em novembro, prejudicadas por novas infecções por Covid-19 e redução da renda familiar, colaborando para sinais crescentes de desaceleração na recuperação da economia diante da recessão pandêmica.

As vendas no varejo caíram 1,1% no mês passado, disse o Departamento de Comércio dos EUA hoje (16). Os dados de outubro foram revisados para baixo para mostrar que as vendas caíram 0,1%, em vez de subir 0,3%, conforme publicado anteriormente. A queda de outubro foi a primeira desde abril, quando medidas rigorosas para controlar a primeira onda de casos de coronavírus paralisaram a economia.

Excluindo automóveis, gasolina, materiais de construção e serviços alimentícios, as vendas no varejo caíram 0,5% no mês passado, após uma queda revisada para baixo de 0,1% em outubro.

O chamado núcleo das vendas de varejo correspondem mais intimamente ao componente de gastos do consumidor no Produto Interno Bruto. Anteriormente, estimava-se que eles haviam saltado 0,1% em outubro. (Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Compartilhe esta publicação: