6 conselhos de mulheres líderes de negócios sobre finanças

Divulgação/Forbes
Divulgação/Forbes

Em 2023, as mulheres serão responsáveis, globalmente, por US$ 93 trilhões da riqueza do mundo, ante US$ 77 trilhões atuais.

 

Ano novo, pessoas novas. Pelo menos, é o que elas dizem. Se você é uma daquelas pessoas que começa o ano com algumas novas resoluções, aposto que a sua relação com o dinheiro está no topo de sua lista de prioridades. Todos nós precisamos, todos nós queremos, então o primeiro passo é ouvir o que as pessoas que estiveram lá antes de você e trabalharam em direção ao sucesso financeiro têm a dizer, certo? Equipar-se com o conhecimento daqueles que são especialistas quando se trata de todas as coisas, não precisa ser difícil ou caro. Mudar sua atitude em relação ao dinheiro e finanças é o primeiro passo na direção certa. 

 

Muitas vezes, as mulheres têm relacionamentos particularmente difíceis com dinheiro por motivos que, às vezes, não estão em nosso controle, como a disparidade salarial de gênero, mulheres sendo as principais cuidadoras nas famílias e, portanto, mais propensas a pausar suas carreiras, falta de educação sobre investimento e pensões, falta de financiamento para empresárias e fundadoras… a lista é infinita.

 

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A mudança da riqueza das mulheres

 

Quase um terço (32%) da riqueza mundial é agora controlada por mulheres e seus ativos estão crescendo rapidamente. Em 2023, as mulheres serão responsáveis, globalmente, por US$ 93 trilhões da riqueza do mundo, ante US$ 77 trilhões atuais.

 

O recente relatório da WealthiHer Network “The Changing Faces of Women’s Wealth” dá novos e valiosos insights sobre as mudanças nos desejos e necessidades das mulheres em torno de finanças, riqueza, negócios, carreiras e como os níveis de educação financeira e confiança estão relacionados, além de revelar a diferença entre os sexos na relação com o dinheiro e os investimentos. O relatório baseia-se em fontes como: Banco Mundial, Boston Consulting Group (BCG), Fawcett Society e The Institute of Fiscal Studies e compara os objetivos financeiros das mulheres (e homens) do Reino Unido com os de Hong Kong, Cingapura e China.

 

Mais de 2.239 pessoas foram entrevistadas e uma das principais conclusões da pesquisa foi que, embora a riqueza seja controlada por mais mulheres do que nunca e isso esteja crescendo rapidamente, as mulheres foram as mais impactadas negativamente nos últimos meses. Como resultado da pandemia, sua autoestima, confiança e segurança financeira sofreram.

 

“Nos negócios e no empreendedorismo descobrimos que 74% das mulheres não se sentem apoiadas o suficiente, e 75% das empresárias estão preocupadas com o acesso a fontes de financiamento e preconceito nos processos”, afirma Tamara Gillan, CEO da The WealthiHer Network. “Nossa pesquisa mostrou que quase dois terços das mulheres querem o apoio da comunidade ao seu redor, o que não é uma surpresa, já que as mulheres têm 1,8 vez mais probabilidade de perder o emprego ou demitir-se do que os homens, e quase dois terços das mulheres se identificam com a declaração de que não são financeiramente experientes. Pensamos que é hora de mudar isso. ”

 

Algumas outras descobertas importantes do relatório incluem:

 

  • 69% das mulheres dizem que, mais do que nunca, estão tendo que fazer o dinheiro durar mais e mais;
  • 54% das mulheres consideram saúde e felicidade como suas principais prioridades – a importância da saúde aumentou este ano. Para os homens, a saúde e a segurança financeira são as mais importantes;
  • Ambos os sexos consideram importante uma carreira de sucesso, mas enquanto os homens veem a riqueza como um símbolo de sucesso e querem usá-la para viajar e ter maiores experiências, as mulheres veem a riqueza como uma fonte de segurança e uma plataforma para fazer a diferença;
  • O valor médio da aposentadoria de uma mulher de 60 anos é um terço do valor da pensão de um homem na mesma idade. As mulheres começam a aposentadoria mais tarde do que os homens, pois colocam a educação e o cuidado dos filhos como prioridades financeiras;
  • As mulheres querem usar a riqueza adquirida para criar um amanhã melhor e quase nove em cada dez (89%) dizem que os negócios e os investimentos devem ser feitos em áreas socialmente responsáveis, ​​que não explorem as mulheres ou suas comunidades e sejam ambientalmente responsáveis.

 

O relatório também mostrou que as mulheres querem se envolver mais no mundo das finanças, especialmente aquelas com menos de 35 anos. Os locais de trabalho precisam se tornar mais diversificados, especialmente nas organizações financeiras que desejam ver a filantropia como uma meta na qual o dinheiro é usado como instrumento de retorno à sociedade e cuidado com o meio ambiente.

 

As descobertas deste relatório realmente me impactaram. No final do dia, ter sucesso no trabalho e ganhar meu próprio dinheiro me dá mais confiança em tudo o que faço. Por isso, perguntei a algumas das minhas referências pessoais quais seriam suas mensagens para outras mulheres que desejam começar a lidar melhor com o dinheiro, investir com mais conhecimento ou apenas se tornarem mais alfabetizadas financeiramente.

 

Dra. Jenny Chu, professora universitária e diretora do Wo+Men’s Leadership Center

 

“O relatório da WealthiHer ilustra perfeitamente que a educação financeira e o empoderamento ajudarão a superar os desafios que as mulheres ainda enfrentam para garantir seu futuro financeiro, bem como progredir em carreiras na área das finanças. Para as mulheres com a ambição de ser mais experientes financeiramente, meu conselho seria fazer um balanço de sua renda atual, ativos (fontes de renda) e passivos (fontes de despesas) e, em seguida, mapear metas financeiras detalhadas e realistas. Com este roteiro, você poderá buscar conselhos confiáveis ​​sobre medidas específicas para atingir essas metas. Quaisquer que sejam seus objetivos, lembre-se de diversificar e tomar cuidado com as taxas das transações.”

 

Anne Boden, CEO e fundadora do Starling Bank, vencedora do prêmio Best British Bank em 2018, 2019 e 2020

 

“A chave para administrar suas finanças é criar um fundo para os dias difíceis em seu planejamento financeiro, não importa o quão pequeno seja. Se você planejar cuidadosamente, pode garantir um futuro financeiro melhor.

 

Anne segue dizendo que “para nós, do Starling Bank, isso se traduz em criar um ambiente que seja inclusivo e onde as pessoas queiram trabalhar. Fizemos grandes progressos no que diz respeito à diversidade de gênero. Assinamos a Carta das Mulheres nas Finanças em 2017 e estabelecemos uma meta ambiciosa: até 2021, 40% da nossa alta administração deveria ser composta por mulheres e estamos felizes em dizer que a alcançamos. É também repensar como a sociedade pensa sobre o trabalho. Uma parte importante do problema são as ideias profundamente arraigadas que temos sobre a categoria de trabalho que os “homens fazem” e o modelo de trabalho que as “mulheres fazem”, definidos e moldados por anos de condicionamento social invisível. Estamos agora no ponto em que algumas pessoas consideram a engenharia de “software” e o sistema bancário como atividades tradicionalmente “masculinas”, ou falam abertamente sobre serem “o mundo de um homem”. Isso certamente é falso para a tecnologia, os primeiros passos da era da computação foram muito mais equilibrados, com as mulheres famosas trilhando caminhos na ciência da computação. Mas esse condicionamento é há muito tempo real nas finanças. Temos que desafiar essas ideias desde o início”. 

 

Jessica Peltz-Zatulove, sócia-fundadora da Hannah Gray, cofundadora da Women in VC, a maior comunidade global para mulheres em venture capital, e coautora do relatório “The Untapped Potential of Women-led Funds”

 

“Há muito que as mulheres podem fazer em sua vida profissional e privada para alcançar maior estabilidade financeira, serem melhores na gestão do dinheiro e implementarem uma mentalidade de sucesso quando se trata das finanças. Estamos entusiasmados com as novas ferramentas e plataformas de conteúdo projetadas para criar confiança e assumir o controle de nossas finanças. Conteúdos que tornam a educação financeira acessível, como o MoneyGirls e o Uptick, ou investir em plataformas que não têm depósito mínimo, como o Stash, tudo isso é super importante. Estamos começando a ver vários blogs, podcasts, plataformas de tecnologia, etc. que estão tentando fazer com que o mundo dos investimentos não pareça intimidante.”

 

Milena Bursztyn, investidora da Germin8 Ventures e coautora do relatório “The Untapped Potential of Women-led Funds”

 

“Muitas vezes existe o equívoco de que as mulheres não são financeiramente experientes. Isso se deve ao fato do dinheiro ser um tabu. Por muito tempo, as mulheres se sentiram desconfortáveis ​​ao falar sobre dinheiro, como administram suas finanças pessoais, como investem, quem lhes dá conselhos. Mas isso está mudando rapidamente com o surgimento da educação financeira e o aumento da participação das mulheres na força de trabalho. Remover a barreira à participação das mulheres nos mercados financeiros é um passo importante na implementação de uma mentalidade de sucesso quando se trata de finanças.

 

Embora muitos digam que a área de venture capital ainda é um clube masculino, isso está mudando. Mesmo que os números não estejam onde gostaríamos que estivessem, na verdade, estamos vendo mais mulheres ingressando na carreira de VC. Existem várias coisas que as mulheres podem fazer para se colocarem no caminho certo, entrar no mercado de venture capital e ter sucesso. Muitos fundos, especialmente os fundos emergentes (menos de US$ 100 milhões em ativos sob gestão), estão em busca de talentos que possam trazer uma rede única de empreendedores e outras partes interessadas do ecossistema, gerando um portfólio de negócios mais rico. Portanto, a primeira coisa que um candidato deve considerar é: como é a minha rede de contatos, o meu network?

 

Outro fator importante é se a candidata possui conhecimento profundo de um determinado setor ou mercado. O desenvolvimento de uma tese de investimento em um mercado específico e a identificação de algumas tendências-chave farão com que essa candidata se destaque. Além disso, os VCs estão sempre procurando criar valor para as empresas de seu portfólio. Portanto, as candidatas que exibem uma vantagem única, um conjunto de habilidades especiais, relacionamentos existentes com parceiros, clientes em potencial ou experiência em produtos estão bem posicionadas para ter sucesso durante o processo de recrutamento.

 

Por último, existe uma habilidade suave que não é muito mencionada, mas que é a capacidade de gerenciar expectativas. Os VCs estão constantemente dizendo “não” a negócios em potencial. Portanto, ser capaz de recusar investimentos e ainda preservar e cultivar um relacionamento com os empreendedores é uma habilidade crítica para o sucesso. Essas são áreas extremamente importantes para os VCs e qualquer candidato deve definir sua posição sabendo o que os VCs procuram”. 

 

Emilie Bellet, fundadora e CEO da Vestpod e apresentadora do podcast The Wallet

 

“Com muita frequência, as mulheres se sentem protegidas e excluídas quando se trata de questões financeiras. Isso, combinado com o fato do dinheiro ainda ser um tabu e de que a maioria de nós nunca aprendeu como administrar nossas finanças, dificulta saber onde e como começar a tomar melhores decisões financeiras. O setor de serviços financeiros está repleto de jargões e os produtos oferecidos são difíceis de navegar.

 

É importante que as mulheres não sejam muito duras consigo mesmas. É normal começar do zero, contanto que você comece de algum lugar. Comece fazendo o que você pode: obtenha clareza sobre seus sonhos e objetivos e trabalhe-os em seu plano financeiro. Resolva suas dívidas, construa uma reserva de emergência e defina um orçamento claro (e o cumpra). Também é importante colocar seu dinheiro para trabalhar para você desde o início, investir é uma ótima maneira de economizar para o seu futuro.

 

Comece a falar sobre dinheiro em seus círculos e incline-se para as comunidades on-line. Ser capaz de falar abertamente sobre dinheiro te ajuda a se tornar mais confiante e assertiva, o que é fundamental para construir um futuro financeiro mais saudável. E lembre-se de que pequenos passos na direção certa se agravam com o tempo e percorrem um longo caminho”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).