Bitcoin pode subir a US$ 146 mil, diz JPMorgan

diyun Zhu/GettyImages
diyun Zhu/GettyImages

A criptomoeda passou a ser vista neste ano como um hedge contra a inflação e uma alternativa ao dólar depreciado

O bitcoin se tornou um rival do ouro e pode ser negociado a até US$ 146 mil se conseguir se estabelecer como um ativo seguro, disse o banco de investimentos JPMorgan hoje (5).

O interesse na mais importante criptomoeda do mundo disparou no último ano, com investidores vendo o bitcoin como uma ferramenta de hedge contra a inflação e uma alternativa ao dólar depreciado. O rali mais do que triplicou os preços do bitcoin nos últimos seis meses, atingindo o recorde de US$ 34.800 em 2 de janeiro.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

“A competição do bitcoin com o ouro já começou”, disseram estrategistas do banco de Wall Street em relatório, citando as recentes saídas de US$ 7 bilhões do ouro e entradas de mais de US$ 3 bilhões no Grayscale Bitcoin Trust.

Isso poderia marcar uma nova era para a volátil moeda digital após anos como uma aposta de especuladores e investidores de varejo.

“Considerando o quão grande é o investimento financeiro em ouro, uma exclusão do ouro como moeda ‘alternativa’ implica uma grande vantagem para o bitcoin a longo prazo”, disse o JPM.

É provável que o bitcoin supere o ouro à medida que os jovens se tornam um componente mais importante do mercado de investimentos ao longo do tempo e dada sua preferência pelo “ouro digital” em relação ao ouro tradicional, acrescentou o JPM.

Com uma capitalização de mercado de US$ 575 bilhões, o preço do bitcoin precisa de um salto de quase cinco vezes para US$ 146 mil corresponder ao valor do capital privado mantido em barras de ouro, moedas ou fundos negociados em bolsa, acrescentou a nota do banco.

Estrategistas da JPM disseram que o lado positivo está condicionado à volatilidade do bitcoin convergindo com a do ouro no longo prazo.

Embora os analistas do JPM veja, a possibilidade de uma “moda especulativa” impulsionar o bitcoin para entre US$ 50.000 e US$ 100.000, eles advertiram que tais níveis se mostrariam insustentáveis até que seus níveis de volatilidade se esgotem.

“Observamos que o espetacular rali do bitcoin das últimas semanas moveu o bitcoin para um território mais desafiador, não apenas em termos de seu cenário de posicionamento, mas também em termos de sua avaliação”, disse o banco. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).