Bolsonaro informou que não prorrogará o auxílio emergencial

Apesar da indicação de acabar com o benefício, questionado por um apoiador, o presidente informou que apenas o Ministro Paulo Guedes pode comentar sobre o assunto

Redação
Compartilhe esta publicação:
GettyImages/GettyImages
GettyImages/GettyImages

Tanto Bolsonaro quanto Guedes têm dado declarações contrárias à retomada do benefício

Acessibilidade


Em meio a pressões até de aliados, o presidente Jair Bolsonaro voltou a indicar ontem (25) que não haverá prorrogação do auxílio emergencial após afirmar à apoiadores que lamentava haver muita gente passando necessidade, mas que o endividamento do país está no limite.

Questionado por um apoiador sobre se é a favor de um novo auxílio emergencial, Bolsonaro disse que não iria conversar sobre o assunto com ele, mas somente com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Depois, o presidente emendou: “A palavra é emergencial. O que é emergencial? Não é duradouro, não é vitalício, não é aposentadoria. Lamento muita gente passando necessidade, mas a nossa capacidade de endividamento está no limite”, disse. “Satisfeito aí?”, encerrando a conversa.

Aliados de Bolsonaro no Congresso têm defendido uma discussão sobre a retomada do auxílio emergencial, que se encerrou em dezembro, mas tanto Bolsonaro quanto Guedes têm dado declarações contrárias à retomada do benefício. (com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: