Cruzeiro do Sul pode movimentar R$ 1,87 bilhão em IPO

NurPhoto/GettyImages
NurPhoto/GettyImages

A oferta base compreende a venda de 103,275 milhões de ações

O grupo privado de ensino superior Cruzeiro do Sul pode movimentar cerca de R$ 1,87 bilhão em sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), segundo cálculos da Reuters com base em dados do cronograma da oferta apresentados hoje (20).

A oferta base compreende a venda de 103,275 milhões de ações. O cálculo tomou como referência R$ 18 por ação, o ponto médio da faixa indicativa de preço definida pelos coordenadores da operação, de R$ 16,40 e R$ 19,60 por papel.

Deste montante, fazem parte 76,5 milhões de ações novas, a oferta primária, cujos recursos a empresa informara em outubro que pretende usá-los principalmente para comprar rivais.

Outros 26,775 milhões de ações são da chamada oferta secundária, pertencentes a atuais acionistas da companhia, incluindo fundos geridos pela BRL Trust e pela Magnetis.

A transação ainda pode incluir uma venda extra de 26,775 milhões de ações para atender os coordenadores BTG Pactual, Bradesco BBI, Bank of America, Morgan Stanley e Santander e para dar conta de eventual excesso de demanda do mercado.

A precificação da oferta está prevista para acontecer em 9 de fevereiro, com estreia das ações na Bovespa em 11 de fevereiro, sob o ticker “CSED3”.

Fundada em 1965 e com sede em São Paulo, a Cruzeiro do Sul se apresenta como o quarto maior grupo privado de ensino superior em número de alunos no Brasil. Além da própria Cruzeiro do Sul, a empresa é dona de marcas como Unicid, UDF, Módulo, Universidade Positivo e Braz Cubas. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).