Economia encolhe na zona do euro em janeiro com lockdowns, demonstra PMI

REUTERS/Yves Herman - File Photo
REUTERS/Yves Herman - File Photo

O PMI do setor de serviços caiu a 45,0% de 46,4%

A atividade econômica na zona do euro encolheu com força em janeiro, uma vez que os lockdowns para conter a pandemia de coronavírus afetaram com força o dominante setor de serviços, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, em inglês).

Com locais de lazer e hospedagem forçados a permanecer fechados em grande parte do continente, a pesquisa destaca uma grande contração no setor de serviços, mas também mostra que a indústria permaneceu forte já que as fábricas ficaram abertas.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O PMI Composto preliminar do IHS Markit, empresa britânica de informações e serviços financeiros, caiu abaixo da marca de 50%, que separa crescimento de contração, chegando a 47,5% em janeiro, de 49,1% em dezembro. Pesquisa da Reuters apontava queda de 47,6%.

“Uma recessão de duplo mergulho para a economia da zona do euro está parecendo cada vez mais inevitável já que as restrições mais rigorosas devido ao coronavírus afetaram ainda mais as empresas em janeiro”, disse Chris Williamson, economista-chefe do IHS Markit.

O PMI do setor de serviços caiu a 45,0% de 46,4%, mas ficou acima da expectativa em pesquisa da Reuters de 44,5% e bem longe de mínimas históricas vistas no início da pandemia. Com a atividade ainda em declínio, as empresas de serviços foram forçadas a cortar seus preços e o subíndice de preços cobrados caiu a 46,9% de 48,4%, nível mais baixo desde junho.

A atividade industrial permaneceu forte e o PMI do setor ficou em 54,7%, acima da marca de 50%, mas mais fraco do que os 55,2% de dezembro. A expectativa em pesquisa da Reuters era de 54,5%. O subíndice de produção caiu a 54,5% de 56,3%. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).