Forbes Radar: PetroRio, Intelbras e Bemobi realizam oferta pública de ações

No Forbes radar de hoje (19), A PetroRio informou que realizará um follow-on com a distribuição de 22 milhões de ações, já as reservas de ações da Intelbras começam nesta terça-feira, enquanto a Bemobi pode movimentar R$ 1 bilhão em IPO nos EUA. A Itaúsa informou aos acionistas o pagamento de Juros sobre Capital Próprio e a BlackRock aumentou sua participação na Energisa. Veja estes e outros destaques corporativos do dia abaixo:

Intelbras (INTB3)

Começa hoje a reserva de ações da Intelbras. Serão ofertadas 72 milhões de ações com faixa de preços entre R$ 15,25 e R$ 19,25, que podem gerar para a companhia a arrecadação de R$ 1,2 bilhão na Oferta Pública Inicial (IPO). A estreia na B3 está prevista para 4 de fevereiro e o período de reserva acaba no 1º dia do mesmo mês.

O valor mínimo para participar da primeira venda de ações da Intelbras é de R$ 3 mil, e o máximo, de R$ 1 milhão. Com o dinheiro captado na oferta primária, a companhia planeja ter um crescimento inorgânico (36%), expandir a capacidade produtiva (26%), aumentar o serviço de locação de produtos (21%) e melhorar os canais internos verticais e de varejo (17%).

Há ainda a possibilidade de um lote adicional de 14 milhões de papéis e um lote complementar de 10 milhões de ativos.

PetroRio (PRIO3)

A PetroRio informou ao mercado que o Conselho de Administração da companhia aprovou a realização de uma oferta pública de distribuição primária de ações ordinárias, sem valor nominal, sem quaisquer ônus ou gravames. A oferta consistirá na distribuição de 22 milhões de ações e a PetroRio pode levantar R$ 1,63 bilhão, sem contar às 7,7 milhões de ações adicionais.

A oferta está sendo coordenada pelo BTG Pactual (líder), Citigroup Global, Credit Suisse, Itaú, Safra e Santander. O preço por ação será fixado após a conclusão do procedimento de coleta de intenções de investimento a ser realizado exclusivamente junto a investidores profissionais.

A cotação de fechamento das ações ordinárias de emissão da companhia na B3, em 15 de janeiro de 2021, foi de R$ 74,28 por ação ordinária de emissão da empresa, valor este meramente indicativo do preço por ação, podendo variar para mais ou para menos, conforme a conclusão do procedimento de Bookbuilding.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Itaúsa (ITSA4)

A Itaúsa declarou aos acionistas que aprovou o pagamento de Juros sobre Capital Próprio no valor de R$ 0,02 por ação até 30 de abril, com base na posição acionária final do dia 22 de janeiro. Com a retenção de 15% de imposto de renda na fonte, o valor final é de R$ 0,01 por ativo.

Petrobras (PETR4)

A Petrobras anunciou que o Conselho Deliberativo da Petros e o Conselho de Administração da empresa aprovaram uma nova versão da documentação para a abertura do Plano Petros 3 (PP-3) e para o processo de migração, após a conclusão dos ajustes solicitados pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).

O PP-3 será uma opção previdenciária exclusiva para migração voluntária e pontual dos participantes e assistidos dos planos Petros do Sistema Petrobras Repactuados e Não Repactuados (PPSP-R e PPSP-NR).

A expectativa de aprovação pelos órgãos fiscalizadores é até fevereiro de 2021. Já o início de operacionalização está previsto para o 2º trimestre de 2021, uma vez que o novo plano também passará por um estudo de viabilidade técnica e administrativa, que só poderá ser concluído após a definição da massa de participantes que terá optado pelo Plano Petros 3.

Hering (HGTX3)

A Hering está investindo em automação em seu setor logístico e contratou as soluções da Lincros para garantir assertividade no processo, informou a companhia em um documento enviado à imprensa. Com a medida, a empresa busca controlar todo o processo de distribuição dos pedidos para os clientes varejistas e do e-commerce.

Atualmente, a Hering possui 764 lojas. Enquanto os pontos físicos de vendas precisaram ser fechados na pandemia, o ambiente virtual da marca disparou: saltando de 4% do faturamento da empresa no terceiro trimestre de 2019, para 17% do faturamento da empresa no terceiro trimestre de 2020. Nos últimos três meses do ano anterior, a Hering observou um crescimento de 161% no canal online, em relação ao mesmo período de 2019.

Aureo Cunha, gerente de Logística da Cia. Hering, explica que com a implantação da solução da Lincros, planilhas manuais serão substituídas por dados automatizados: “Desta forma, a equipe conseguirá monitorar as entregas, reduzir custos com a otimização da distribuição e melhorar os investimentos dos fretes”.

Movida (MOVI3)

A Movida assinou um acordo ontem para comprar a empresa de gestão e terceirização de frota VOX. A negociação foi avaliada em R$ 89 milhões, de acordo com o fato relevante à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O contrato, de acordo com a Movida, prevê a aquisição da totalidade das ações de emissão da Vox pelo valor contábil de sua frota verificado na data de fechamento, acrescido de um prêmio de 12,5%, resultando em um Enterprise Value, que deverá ser ajustado para reduzir a dívida líquida, refletir ajustes de capital de giro e outros ajustes no fechamento da transação.

Conforme o fato relevante, a Vox atualmente possui uma frota de aproximadamente 1,8 mil veículos de idade média de 1,2 ano que estão distribuídos entre seus 57 clientes. O preço da aquisição será pago em dinheiro, sendo 50% à vista e 50% após 1 ano da transação.

“Este movimento inorgânico está alinhado com a estratégia da companhia, que tem por objetivo a geração de valor, combinando preços compatíveis, crescimento e rentabilidade”, afirmou a Movida, acrescentando que a aquisição a fortalece em nichos específicos de mercado.

Cyrela (CYRE3)

A Cyrela anunciou ontem que as vendas contratadas cresceram 34% no último trimestre de 2020, comparado com o mesmo período do ano anterior, para R$ 1,86 bilhão. Ao mesmo tempo, os lançamentos mais que dobraram, passando de cerca de R$ 1,4 bilhão de outubro a dezembro de 2019 para R$ 2,87 bilhões nos mesmos meses de 2020.

O valor lançado, correspondente a 25 empreendimentos, também foi 74% maior que o registrado no terceiro trimestre do ano passado, enquanto as vendas tiveram crescimento de 8,7% nesta comparação.

BlackRock (BLAK34) e Energisa (ENGI11)

A gestora BlackRock ampliou sua participação na Energisa por meio da aquisição de ações preferenciais emitidas pela companhia. De acordo com a Energisa, a BlackRock passou a deter 53.206.736 ações preferenciais de emissão da elétrica, o equivalente a 5,02% dos papéis totais da empresa.

Além disso, também atingiu 3.166.296 instrumentos financeiros derivativos referenciados em ações preferenciais com liquidação financeira, que chegam a 0,29% do total das ações preferenciais emitidas pela Energisa.

“A BlackRock declara, ainda, que tal participação não tem o objetivo de alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da sociedade, servindo estritamente para fins de investimento”, afirmou a Energisa em comunicado.

Bemobi (BMOB3)

O clube de assinatura de aplicativos Bemobi Mobile pode movimentar cerca de R$ 1 bilhão em sua Oferta Pública Inicial. Serão ofertadas 49,7 milhões de ativos, com o preço indicativo está entre R$ 17,60 e R$ 23,10. A oferta acontece em 8 de fevereiro.

A operação poderá ainda ser acrescida de 17,4 milhões de ações, referentes à venda de participação de atuais acionistas da Bemobi, o chamado lote secundário, que poderá ser vendido dependendo da demanda do mercado.

A companhia, que desde 2015, faz parte do grupo norueguês Otello Corporation, gera receita ao vender assinaturas do clube, em parceria com operadoras de telefonia, desenvolvedores e fornecedores de conteúdo. A empresa tem 200 parceiros de conteúdo, incluindo Disney, Rovio, Viacom e AngryBirds. No fim de setembro, a Bemobi tinha 34,6 milhões de assinantes em 37 países e parceria com 70 operadoras de telefonia móvel

A companhia afirmou no prospecto preliminar da oferta que usará os recursos da oferta primária para pagar obrigações ligadas à reorganização societária, pagar dividendos devidos referentes a anos anteriores e para comprar ativos.

Grab

A Grab, gigante de entregas de comida e transporte do sudeste asiático, está buscando uma listagem nos Estados Unidos em 2011, animada com o forte apetite do mercado por IPO, disseram à Reuters três fontes a par do assunto.

O IPO da Grab pode levantar pelo menos US$ 2 bilhões, disse uma das fontes, o que provavelmente se tornará a maior oferta de ações no exterior por uma empresa do sudeste asiático. A companhia não quis comentar sobre o assunto.

A empresa captou mais de US$ 10 bilhões ao se tornar uma plataforma para diversos serviços como entrega de alimentos, pagamentos e seguros no sudeste da Ásia, onde vivem cerca de 650 milhões de pessoas. Recentemente, a Grab obteve uma licença para operar como banco digital em Cingapura.

A receita líquida total do grupo Grab saltou cerca de 70% ano a ano em 2020 e se recuperou para ficar confortavelmente acima dos níveis pré-pandêmicos. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).