Ford vai encerrar operações no Brasil

Joe Raedle/Getty Images
Joe Raedle/Getty Images

A Ford vai fechar suas três fábricas no Brasil neste ano

A Ford anunciou hoje (11) que vai fechar suas três fábricas restantes no Brasil neste ano e assumir encargos antes de impostos de cerca de US$ 4,1 bilhões, como parte de uma reestruturação que a empresa afirma ser global e que já havia atingido em 2019 a histórica unidade da companhia em São Bernardo do Campo (SP).

A produção cessará imediatamente nas fábricas da Ford em Camaçari (BA) e Taubaté (SP), com a produção de alguns produtos sendo ainda mantida por alguns meses para sustentar os estoques para vendas de reposição. A unidade que monta o utilitário Troller em Horizonte (CE), continuará operando até o quarto trimestre.

LEIA MAIS: Ford anuncia venda de fábrica em São Bernardo

A maior das três fábricas da empresa fica no polo de Camaçari (BA), onde a empresa emprega cerca de 10 mil funcionários e fabrica os modelos Ecosport e Ka, afirmou o diretor do sindicato local.

A empresa estava convocando dirigentes das fábricas para uma reunião “de emergência” nesta tarde, segundo as entidades.

Em Taubaté, a montadora norte-americana emprega cerca de 800 funcionários, informou o sindicato local. A fábrica produz motores e transmissões.

“Como resultado, a companhia vai parar as vendas do EcoSport, Ka e do T4 assim que os estoques forem vendidos. As operações de manufatura na Argentina e no Uruguai e as vendas em outros países sul-americanos não serão afetadas”, informou a Ford em comunicado à imprensa. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).