Grupo São Martinho obtém R$ 941,6 mi do BNDES para investimentos em usinas

REUTERS/Paulo Whitaker
REUTERS/Paulo Whitaker

Os recursos serão utilizados para construção de uma planta de etanol de milho na Usina Boa Vista (GO) e silos de armazenamento de grãos

O Grupo São Martinho teve aprovado pelo BNDES um financiamento de R$ 941,6 milhões que visa bancar investimentos da empresa em usinas em São Paulo e Goiás, informou o banco estatal em comunicado hoje (19).

Os recursos serão utilizados para construção de uma nova planta de etanol de milho na Usina Boa Vista (GO) e silos de armazenamento de grãos, além da implementação de uma termelétrica e modernização de unidades já existentes.

A nova usina de geração de energia com bagaço de cana-de-açúcar, a UTE São Martinho Bioenergia, será instalada no complexo industrial da empresa em Pradópolis (SP), com 40 megawatts em capacidade instalada.

Já o projeto de etanol de milho, na cidade goiana de Quirinópolis, “possui características inovadoras” porque envolverá integração com uma usina de cana já existente, segundo o BNDES.

“Os silos que serão construídos poderão armazenar 239 mil toneladas de milho usado na produção do biocombustível”, explicou.

O grupo São Martinho também deverá usar parte do empréstimo para investimentos em inovação com os quais espera ganhos de eficiência em processos produtivos nas usinas Santa Cruz e Iracema, em Américo Brasiliense (SP) e Iracemápolis (SP).

O BNDES afirmou que o financiamento representa 79% dos aportes previstos pela companhia nos projetos, que somam investimento total de R$ 1,2 bilhão. A previsão é de que os empreendimentos estejam concluídos até 2026. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).