Ibovespa fecha em alta com disparada nos preços do petróleo

O Ibovespa fechou em alta de 0,44% aos 119.376 mil pontos o pregão desta terça-feira (5). Após enfrentar muita volatilidade na sessão, que foi marcada por cautela e incertezas nos mercados globais, o índice brasileiro encontrou suporte na valorização das ações da Petrobras (PETR3), que acompanharam a disparada de 5% nos preços do petróleo no dia.

Analistas ouvidos pela agência Reuters avaliam que o Ibovespa tende a continuar alinhado a seus pares no exterior, com muita volatilidade, não descartando movimentos de realização de lucros ou correção técnica, apesar da perspectiva positiva de fluxo para mercados emergentes.

Em Wall Street, a sessão também foi de instabilidade, mas os benchmarks fecharam no azul com investidores acompanhando as eleições para o segundo turno do Senado nos EUA. O Dow Jones encerrou o dia ganhando 0,55%, o S&P 500 avançou 0,71% e o Nasdaq Composite registrou valorização de 0,95% no dia. O estado da Geórgia tem duas cadeiras na Casa e o resultado do pleito de hoje irá definir o controle do Congresso norte-americano, tornando mais fácil ou difícil a aprovação de pautas da administração do presidente eleito, Joe Biden.

O dólar fechou o dia em leve queda contra o real, depois de saltar 1,6% no pregão de ontem e de muitas oscilações na cotação durante a sessão. A divisa norte-americana terminou o dia perdendo 0,16% e negociada a R$ 5,26 na venda. Na B3, a volatilidade do dólar futuro segue mantendo o real como uma das moedas mais instáveis entre seus pares emergentes.

No cenário politico doméstico, as atenções em Brasília estão voltadas para a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, em especial após a confirmação ontem (4) do apoio de partidos da oposição ao candidato Baleia Rossi (MDB-SP) contra o nome do governo, Arthur Lira (PP-AL). A disputa é considerada fundamental para o avanço da agenda de reformas do governo neste ano.

“Ainda temos um enorme problema fiscal que precisará ser, pelo menos em parte, equacionado. Este é hoje o maior desafio para o país, e um dos vetores que podem definir a direção estrutural de nossa economia nos próximos anos”, afirmou a Tag Investimentos em carta mensal aos investidores.

Hoje mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro afirmou a um apoiador que o Brasil está quebrado e, por isso, estava de mãos atadas. “Chefe, o Brasil está quebrado, chefe. Eu não consigo fazer nada”, afirmou Bolsonaro citando, como exemplo, que gostaria de ter alterado a tabela do Imposto de Renda. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).