Ibovespa fecha em forte queda com realização de lucros global

O Ibovespa fechou o pregão desta segunda-feira (11) em forte queda, acompanhando o movimento de realização de lucros global diante da tensão política nos Estados Unidos. O índice brasileiro terminou o dia recuando 1,46% aos 123.255 pontos. Os democratas no Congresso norte-americano planejam votar o impeachment de Donald Trump nesta quarta-feira, alegando que o presidente incitou manifestações violentas e a invasão do Congresso na última semana.

O dia foi de correção em vários ativos de risco, como bolsas, moedas emergentes e petróleo, depois de uma escalada recente que levou as duas primeiras classes de ativos a patamares recordes. “Além de um movimento natural de realização, investidores monitoram a aceleração dos casos de coronavírus e a reta final do governo Trump”, disse o BTG Pactual digital.

Para profissionais do mercado, no entanto, o movimento da sessão parece pontual, dado que o ambiente monetário expansionista deve prosseguir por pelo menos mais alguns meses, liberando um grande volume de recursos para ativos de risco, como ações.

“A realidade das bolsas de valores está muito atrelada à atual situação de liquidez, apesar de haver preocupações no radar”, disse o sócio da Monte Bravo Investimentos, Rodrigo Franchini, apontando o frágil quadro fiscal no caso do Brasil.

Nos primeiros quatro pregões de 2021, a bolsa paulista registrou entrada líquida de R$ 8,3 bilhões de recursos de investidores estrangeiros.

Em Wall Street, os índices também encerraram o dia em correção, com destaque para o benchmark de tecnologia Nasdaq Composite, que recuou 1,25% aos 13.036 pontos na sessão com investidores antecipando mais regulações sobre as empresas de redes sociais após o Twitter banir permanentemente a conta de Trump em sua plataforma.

“Quando os mercados estão olhando para algo tão crítico, como a governança dos Estados Unidos, até mesmo um pouco de incerteza pode ter um impacto significativo”, disse Brad McMillan, diretor de investimentos da Commonwealth Financial Network em Waltham, Massachusetts. “Isso afeta a capacidade das partes de trabalharem juntas para aprovar políticas como estímulos.”

McMillan disse que os investidores também estão preocupados com mais ataques. O FBI alertou sobre possíveis protestos armados sendo planejados em Washington e em todas as 50 capitais dos Estados Unidos na reta final para a posse do presidente eleito, Joe Biden, em 20 de janeiro, disse hoje uma fonte federal de segurança pública.

O mercado de câmbio brasileiro também iniciou a semana sob forte pressão, com o dólar emendando a quarta alta consecutiva contra o real e renovando máxima de fechamento em cerca de dois meses, a R$ 5,50 na venda com valorização de 1,69%. A moeda norte-americana foi puxada pela realização de lucros no mercado externo em meio a mais incertezas sobre os rumos da pandemia e a aumento nas taxas de juros de títulos dos EUA.

Nos indicadores, o Boletim Focus divulgado nesta manhã revela que o mercado passou a ver a taxa básica de juros mais alta neste ano e em 2022, com a Selic estimada agora em 3,25% em 2021 e em 4,75% em 2022, contra 3% e 4,50%, respectivamente, na semana anterior. A taxa básica de juros encerrou o ano passado na mínima histórica de 2%, e a primeira reunião do ano do Comitê de Política Monetária (Copom) acontece dias 19 e 20 de janeiro.

Para a inflação, as projeções dos especialistas consultados mostram o IPCA em 3,34% neste ano e a 3,50% em 2022. (Com Reuters)

DESTAQUES DO IBOVESPA

Maiores Altas
GNDI3: +11,00% a R$ 101,45
HAPV3: +8,46% a R$ 18,20
PRIO3: +4,57% a R$ 77,85
BRKM5: +1,66% a R$ 25,10
USIM5: +1,21% a R$ 16,71

Maiores Baixas
CPLE6: -5,47% a R$ 69,31
YDUQ3: -5,12% a R$ 32,59
ENGI11: -4,88% a R$ 47,02
SBSP3: -4,75% a R$ 41,55
IRBR3: -4,75% a R$ 7,62

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).