Ibovespa perde 2,47% na semana com risco fiscal e atrasos nas vacinas

O Ibovespa fechou a sexta-feira (22) em queda de 0,80% aos 117.380 pontos, engatando a segunda semana consecutiva de variação negativa após tocar máximas históricas nos primeiros pregões do ano. A realização de lucros foi impulsionada pelos ruídos no cenário político e pela preocupação com o risco fiscal, em meio a pressão por uma nova rodada do auxílio emergencial em função da pandemia. No acumulado da semana, o índice brasileiro recuou 2,47%.

“A incerteza para o primeiro trimestre permanece elevada, com o agravamento da pandemia no curto prazo e atraso na vacinação”, ressaltou o departamento de pesquisas econômicas do Bradesco em relatório a clientes. Ontem, o mercado reagiu mal a declaração do candidato à presidência do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que sinalizou um retorno do auxílio emergencial logo após a eleição interna no Congresso.

O dólar subiu 2,17% contra o real nesta sexta-feira, fechando o dia negociado a R$ 5,47 na venda, a maior alta em quatro meses, impulsionado por ordens automáticas de compras após a moeda romper duas resistências técnicas, com ampla incerteza sobre o cenário doméstico diante do atraso na vacinação e potenciais aumentos de gastos por causa da crise sanitária. Na semana, o dólar valorizou 3,23%.

“O ativo brasileiro mais surrealmente fora de preço é a moeda”, comentou Luiz Fernando Alves, sócio do Fundo Versa. “Com as commodities onde estão, os termos de troca nunca foram tão favoráveis. Temos superávit em conta corrente, reservas, e somos a pior moeda emergente pós-crise. Essa é a melhor ilustração do risco-Bolsonaro”, disse no Twitter.

O governo brasileiro tem sido criticado pela gestão na disponibilização de vacinas à população em meio ao crescente número de casos de coronavírus e adoção de novas medidas restritivas em algumas regiões do país. No final da tarde de hoje, o Brasil recebeu o primeiro lote da vacina contra Covid-19 da AstraZeneca-Oxford, num total de 2 milhões de doses fabricadas pelo Instituto Serum, na Índia. O lote atrasou uma semana para chegar ao país pelos planos iniciais do governo.

No exterior, a atividade econômica na zona do euro encolheu com força em janeiro, com o PMI Composto da região indo a 47,5 em função dos lockdowns para conter a segunda onda de contaminações por Covid-19. Os dados pressionaram os índices europeus na sessão, com o Stoxx 600 terminando o dia em queda de 0,57% aos 408 pontos.

Em Wall Street, os investidores fizeram uma pausa no rally para embolsar lucros em meio ao início da temporada de balanços corporativos num ambiente de perspectivas ainda positivas para a recuperação da economia norte-americana em médio e longo prazo após a posse de Joe Biden. As ações da IBM despencaram depois da companhia não alcançar as metas de receitas trimestrais, prejudicada por um raro declínio nas vendas de suas unidades de software. O Dow Jones encerrou o dia em queda de 0,57% aos 30.996 pontos, o S&P 500 perdeu 0,30% aos 3.841 pontos e o Nasdaq teve alta de 0,09% aos 13.543 pontos. (Com Reuters)

DESTAQUES DO IBOVESPA

Maiores Altas
BRFS3: +3,19% a R$ 20,69
MGLU3: +1,96% a R$ 25,99
SBSP3: +1,79% a R$ 40,98
CSNA3: +1,68% a R$ 33,98
AZUL4: +1,59% a R$ 38,91

Maiores Baixas
IRBR3: -8,95% a R$ 6,92
CVCB3: -4,98% a R$ 18,30
ELET3: -3,39% a R$ 30,24
CYRE3: -3,35% a R$ 26,00
BRKM5: -3,30% a R$ 24,01

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).