JPMorgan tem alta de 42% no lucro após liberar parte de provisões

Forbes/Reprodução

O JPMorgan Chase divulgou hoje (15) um salto de 42% no lucro do quarto trimestre, resultado muito melhor do que o esperado e impulsionado pela liberação de algumas das reservas que havia acumulado contra inadimplência por causa da pandemia.

O resultado foi impulsionado também por forte performance das unidades de banco comercial e de investimento.

O lucro líquido do banco subiu para US$ 12,1 bilhões, ou US$ 3,79 por ação, no trimestre encerrado em 31 de dezembro, ante US$ 8,5 bilhões, ou US$ 2,57 por ação, um ano antes.

A receita cresceu 3%, para US$ 30,2 bilhões. Durante o trimestre, o JPMorgan liberou reservas de crédito de US$ 2,9 bilhões, elevando o lucro.

Excluindo as provisões, o banco reportou lucro líquido de US$ 9,9 bilhões, ou US$ 3,07 por ação, nível bem acima das estimativas de Wall Street de US$ 2,62 por ação, de acordo com dados da Refinitiv.

A receita de banco de investimento aumentou 37%, para US$ 2,5 bilhões, impulsionada por comissões mais altas em todos os seus produtos.

“Embora os desenvolvimentos positivos das vacinas e os estímulos fiscais tenham contribuído para as liberações de reservas neste trimestre, nossas reservas de crédito de mais de US$ 30 bilhões continuam a refletir uma significativa incerteza econômica de curto prazo e nos permitirão resistir no caso de um ambiente econômico muito pior do que as previsões básicas atuais da maioria dos economistas”, disse o presidente-executivo Jamie Dimon. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).